Siltomac revoluciona trabalho no campo

Fonte FINEP 14/05/2013 às 14h

Siltomac revoluciona trabalho no campo

A Siltomac, indústria de máquinas agrícolas, trouxe solução inovadora para o recolhimento, enfardamento, carregamento e processamento da palha de cana-de-açúcar, facilitando o trabalho dos produtores. Após muita pesquisa em parceria com a Faculdade de Ciências Agronômicas da Universidade Estadual Paulista (Unesp), foram produzidos equipamentos modernos para transformar a biomassa do campo em energia e etanol de forma mais eficaz, econômica e sem prejuízos ao meio ambiente.

A FINEP (Agência Brasileira de Inovação) financiou a Siltomac com cerca de R$ 7,5 milhões em crédito e subvenção e possibilitou a produção dessas máquinas. Agora, usinas de açúcar e etanol podem transformar o palhiço de cana-de-açúcar em biomassa alternativa. É possível utilizar de 20% a 80% da matéria orgânica que é deixada no solo após a colheita. O novo sistema de processamento traz diversos benefícios para o solo, diminui os custos de produção de cana-de-açúcar e etanol e ainda faz melhor controle das pragas.

Desde 2008, a Siltomac realiza junto com a Unesp pesquisas visando à solução ideal para o mercado da agroenergia. O diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, João Carlos Cury Saad, considera que a parceria público-privado trouxe enormes benefícios para a faculdade, a empresa e o país. “É uma associação que traz reflexos em toda a estrutura da universidade e que traz para a Siltomac uma oportunidade de crescimento e, consequentemente, de desenvolvimento social e econômico do Brasil.”

O diretor afirma também que o projeto exemplifica com sucesso o bom uso do recurso público e do conhecimento desenvolvido pela universidade em conjunto com a iniciativa privada, no caso, a Siltomac.

O professor Doutor Kléber Pereira Lanças da Unesp ressaltou a importância da FINEP na realização do projeto, afirmando que o seu papel de incentivadora da inovação no Brasil é fundamental para que o país diminua a importação de ideias e passe a construir as suas próprias. Além disso, falou também sobre a responsabilidade ambiental. “A energia tem que ser cada dia mais renovável e autossustentável, e a biomassa é exatamente isso: uma energia limpa, renovável, sustentável e que ainda contribui com a camada de ozônio através da capitação do CO2 no sistema.”

FINEP
Fonte FINEP 14/05/2013 ás 14h

Compartilhe

Siltomac revoluciona trabalho no campo