Senado rejeita proposta de eliminação de três ministérios

Fonte Ansa Flash. 04/12/2009 às 9h

A proposta do presidente mexicano, Felipe Calderón, de eliminar os ministérios do Turismo, da Reforma Agrária e da Função Pública, com o objetivo de diminuir custos, foi derrubada no Senado.

A iniciativa do Executivo -- apresentada em setembro passado -- foi rejeitada ontem por 44 votos das três bancadas de oposição. Os governistas, do Partido Ação Nacional (PAN), somaram 33 sufrágios.

O mandatário propôs a eliminação dos ministérios como forma de diminuir o gasto público e melhorar a eficiência administrativa do Estado. A medida faz parte do pacote econômico contra a crise mundial, que causou um grave impacto na economia do país.

No plenário, o senador Jesús Murillo Karam, do Partido Revolucionário Institucional (PRI, de centro), argumentou que o Executivo não explicou de forma aprofundada em que consistiam as mudanças e afirmou que a economia com a iniciativa seria mínima.

De acordo com o orçamento aprovado pelo Congresso para o próximo ano, os três ministérios causarão aos cofres públicos um gasto de 10,3 bilhões de pesos [o equivalente a R$ 1,3 bilhão] em 2010.

Na ocasião do anúncio do governo, o ministro da Fazenda, Agustín Carstens, estimou que dez mil funcionários perderiam seus empregos no próximo ano.

No terceiro trimestre do ano, a economia do país apresentou contração de 6,2%, em relação ao mesmo período de 2008. Até o fim de 2009, projeta-se uma retração do Produto Interno Bruto (PIB) de até 8%.

Ansa Flash.
Fonte Ansa Flash. 04/12/2009 ás 9h

Compartilhe

Senado rejeita proposta de eliminação de três ministérios