Segurança do paciente é apresentado a hospitais

Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 02/04/2013 às 19h

Em videoconferência realizada nesta terça-feira, gestores e técnicos de mais de 90 instituições tiraram dúvidas e comentaram as medidas

Hospitais que integram a Rede Sentinela conheceram nesta terça-feira (2) o Programa Nacional de Segurança do Paciente, iniciativa que visa prevenir e reduzir incidentes que resultam em danos ao paciente nos serviços de saúde públicos e privados. Em videoconferência conduzida pelo ministro Alexandre Padilha e pelo diretor-presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, mais de 90 instituições de saúde de todo o país tiraram dúvidas relacionadas às medidas anunciadas ontem (1º).

Os participantes da videoconferência foram unânimes ao avaliar a importância da criação do programa, que contribuirá para a identificação e a investigação das causas dos incidentes e a consequente redução de sua ocorrência. Um dos pontos fortes destacados pelos gestores e técnicos que acompanharam a apresentação é a oportunidade de capacitação dos profissionais da saúde oferecida pela iniciativa. Imediatamente, será aberto curso com 1,2 mil vagas para farmacêuticos de atuação hospitalar com parceria do Hospital Albert Einstein. Em 90 dias será elaborado o Plano de Capacitação e confeccionado material de apoio aos profissionais da saúde.

“Um hospital tem que colocar a segurança do paciente em primeiro lugar. Sabemos que temos um grande desafio pela frente, mas as medidas que devem ser implementadas são simples, e todos têm condições de executar. Então faremos um esforço conjunto para que possamos adotar essas mudanças e promover a melhoria contínua dos serviços de saúde”, disse Padilha.

ESTRATÉGIA- O Diário Oficial da União (DOU) de hoje (2) traz a Portaria nº 529, que institui o programa, e a Consulta Pública nº 9/2013, com a proposta da Anvisa sobre as medidas que serão adotadas. As principais novidades são a instituição de Núcleos de Segurança do Paciente em todos os serviços de saúde do país e a obrigatoriedade da notificação dos eventos adversos ocorridos nesses estabelecimentos.
Os núcleos devem funcionar como espaço de referência para os pacientes e familiares, locais para que os cuidados com as pessoas dentro dos hospitais sejam avaliados constantemente. Já as notificações são consideradas essenciais para que a vigilância sanitária possa acompanhar o que acontece nos serviços de saúde de todo o Brasil e tomar as providências necessárias.
A Consulta Pública receberá contribuições entre os dias 9 de abril e 8 de maio deste ano. Ainda esta semana devem entrar em consulta pública três protocolos de prevenção a eventos adversos que vão orientar sobre higiene das mãos, cirurgia segura e prevenção à úlcera por pressão.

Outros três protocolos entrarão em consulta pública em 30 dias: identificação do paciente, prevenção de quedas e prescrição, uso e administração de medicamentos.

Os seis protocolos funcionam como guias e normas que devem ser observadas nos hospitais e também as práticas mais recomendadas para manter a segurança ao paciente.

REDE SENTINELA- ARede Sentinela é um projeto da Anvisa, em parceria com os serviços de saúde, que tem promovido a construção de uma rede de serviços para notificar eventos adversos e queixas técnicas relacionadas a produtos de saúde. Essa experiência, que ajudou na construção do Programa de Segurança do Paciente, foi consolidada em 2011, quando 192 serviços comprovaram a adoção de medidas na rotina, tais como o monitoramento de infecções sanguíneas adquiridas durante internação, uso de medicamentos e de produtos como próteses. A Rede responde por, aproximadamente, 60 mil leitos e cerca de 40 mil atendimentos por dia.

 

Agência Saúde – Ascom/MS
Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 02/04/2013 ás 19h

Compartilhe

Segurança do paciente é apresentado a hospitais