Saúde lança curso de capacitação à distância

Fonte ASCOM - MS 08/05/2012 às 19h
Treinamento é voltado para profissionais da saúde e tem objetivo de reforçar a capacitação no diagnóstico e tratamento da doença com a discussão de casos clínicos.

A partir de hoje, médicos e enfermeiros da atenção básica e de urgência e emergência de todo o país podem se inscrever para participar do curso à distância - “Atualização no manejo clínico da dengue”. A ideia é reforçar a capacitação no diagnóstico e tratamento da doença com a discussão de quatro casos clínicos que ocorrem no dia a dia, ajudando a esclarecer no diagnóstico diferencial com outras viroses.

Desta forma, o Ministério da Saúde está aumentando o esforço do processo de capacitação dos profissionais de saúde em todo o país e também garantindo uma estratégia contínua que se antecipará ao período de maior incidência da doença no próximo ano.

A meta é aprimorar o atendimento dos casos suspeito de dengue garantindo o manejo e o tratamento adequado do paciente evitando sua evolução para as formas graves e óbitos.

A plataforma de treinamento à distância é compatível com celulares. Assim, o profissional de saúde poderá acessar o conteúdo via Ipad ou Iphone. Outra opção é efetuar o donwload do conteúdo e desenvolver o curso sem acesso à rede, por computador ou celular.

Médicos e enfermeiros podem ainda compartilhar experiências por meio de redes sociais, como o Facebook e, também, participar de enquetes e fórum de discussão promovida na plataforma do curso. Outra ferramenta disponível é um programa para o sistema “android” que pode ser baixado no celular para guiar o profissional da saúde quando efetuar a classificação clínica da doença.

O curso pode ser concluído em menos de uma hora, adaptando-se às necessidades de médicos e enfermeiros em ritmo de trabalho. Os profissionais que queiram aprofundar no diagnóstico e tratamento da dengue podem acessar um conteúdo por meio de links de hipertexto.

Os casos foram elaborados cuidadosamente pelo Ministério da Saúde com a participação dos maiores especialistas na área e escolhidos estrategicamente para abordar questões cruciais na detecção e assistência ao paciente com suspeita de dengue. E todo material e conteúdo foram validados junto aos especialistas reconhecidos na área e avaliados por grupo de profissionais de saúde. O curso é aberto para visitantes, como estudantes de medicina e a população em geral que também terão acesso ao material.

O desenvolvimento do treinamento é uma parceria entre o Ministério da Saúde e a Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (Una-SUS).

O andamento do curso poderá ser acompanhado por relatórios públicos, onde constará ainda o númerode profissionais de saúde matriculados e de aprovados, em cada município brasileiro.

FUNCIONAMENTO – O participante irá escolher um caso clínico, clicando no mosaico da página inicial. Cada caso deve demandar, em média, 15 minutos de atenção para ser finalizado.

O profissional deve acompanhar com atenção as informações apresentadas nos casos e responder as perguntas. E quando necessário poderá consultar o fluxograma do manejo da dengue e rever os dados do paciente antes de validar a sua resposta, usando os ícones correspondentes.

Quando o profissional da saúde se sentir preparado para responder, deverá escolher uma das alternativas. Logo, o participante receberá o retorno da sua resposta. Em caso de erro, um hipertexto o guiará as informações importantes para o aprendizado. Após finalizar o curso, os profissionais de saúde vão receber a declaração de conclusão.

DENGUE – O treinamento faz parte das atividades desenvolvidas pelo Programa Nacional de Controle da Dengue, que concentra várias ações decisivas para atingir significativa queda no número de registros da doença, casos graves e de óbitos.

Entre 2010 e 2011, por exemplo, o número de casos graves caiu 28%, passando de 9.775 casos para 7.038, no ano passado. No ano passado também houve queda no número de óbitos de 22%, passando de 395 para 309 mortes.

A queda nos óbitos e nos casos graves se deve, principalmente, à organização da rede pública de saúde em todo o país, a ampliação no fluxo de atendimento e, sobretudo, ao diagnóstico precoce, além do esforço dos profissionais de saúde e o controle da vigilância pelas equipes de saúde pública e a participação da população no combate à doença.

Neste ano, o governo federal repassou aos municípios com maior incidência da doença, um adicional de recursos de R$ 92,8 milhões para ações de prevenção e controle da dengue.

ASCOM - MS
Fonte ASCOM - MS 08/05/2012 ás 19h

Compartilhe

Saúde lança curso de capacitação à distância