Saúde de médicos que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva é alvo de estudo

Fonte Informe Ensp 27/05/2013 às 11h

 


 

O trabalho e a saúde dos médicos que atuam numa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital público neonatal foram o alvo de uma dissertação de mestrado defendida em maio. Em sua pesquisa desenvolvida pela Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), pesquisadora Ana Paula Ferreira da Rocha mostra como as principais consequências dessa atividade para os médicos são, principalmente, alterações sobre a saúde mental (psicológica) e queixas sobre o sono, o humor, cefaléia e alterações musculares.

"O objetivo da pesquisa era conhecer as estratégias de defesa usadas por esses profissionais para manter a saúde num trabalho tão hostil. O que chamou a atenção foi a comprovação da automedicação e autodiagnóstico nessa classe", alertou. A unidade de saúde investigada pela mestranda foi o Hospital São João Batista, em Volta Redonda- RJ. A pesquisa buscou interpretar o significado do trabalho na vida desses profissionais, identificando as dificuldades, bem como as satisfações geradas no âmbito laboral.

Leia a reportagem completa.

Informe Ensp
Fonte Informe Ensp 27/05/2013 ás 11h

Compartilhe

Saúde de médicos que trabalham em Unidades de Terapia Intensiva é alvo de estudo