Saúde amplia recursos para serviços de nefrologia

Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 16/03/2013 às 9h

Recurso faz aumenta limite financeiro para ampliação da assistência aos pacientes da rede pública de saúde. Ao todo 2,4 bilhões serão investidos este ano no setor

O Ministério da Saúde libera mais R$ 111,6 milhões para que todos os estados possam aprimorar os serviços de hemodiálise oferecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O incremento nos recursos aumenta de R$ 2,3 bilhões (2012) para R$ 2,4 bi, em 2013. O Ministério investe mais de R$ 2 bilhões, por ano, na oferta de procedimentos de nefrologia pela rede pública de saúde.

Estima-se que 83,4 mil pacientes são mantidos em serviços de diálise na rede pública de saúde, sendo que 90% desse total fazem hemodiálise. O SUS oferece atenção integral aos usuários com problemas renais, incluindo a oferta de medicamentos e de exames complementares.

Segundo o secretário nacional de Atenção à Saúde, Helvécio Magalhães, o Ministério conhece as dificuldades do setor, por isso, desde 2011, antecipa “o repasse de recursos para garantir a assistência prestada e esta investindo para garantir a sustentabilidade dos hospitais que prestam este tipo de serviço”, afirma.

A Portaria 381, publicada nesta quinta-feira (14), no Diário Oficial da União (DOU), define que este recurso será financiado pelo Fundo de Ações Estratégicas e Compensação (FAEC) e adicionado ao limite anual dos 26 estados e do Distrito Federal.

Em 2012, foram realizadas mais de 12 milhões de sessões de hemodiálise na rede pública. E em 2011, foram 11 milhões de procedimentos.

O Ministério Saúde habilitou - no ano passado -, 12 novos serviços para assistência em nefrologia, totalizando 686 em todo o país – 30% a mais que o total em 2010 (483).

FATORES DE RISCO – A hipertensão arterial e o diabetes são os principais fatores de risco modificáveis para doenças crônicas não transmissíveis. Levantamento do Ministério da Saúde indica que 54% dos usuários que fazem tratamento de hemodiálise no SUS apresentam hipertensão ou diabetes como causas da doença renal crônica - caracterizada pela perda progressiva e irreversível da função dos rins.

O diabetes é a segunda causa de início em diálise em estágios mais avançados (doença renal crônica terminal). O diagnóstico da doença nem sempre resulta em complicação renal, se for adotado um estilo de vida saudável, sem fumo ou álcool e com a prática de atividade física regular, o paciente pode levar uma sem complicações.


 

Agência Saúde – Ascom/MS
Fonte Agência Saúde – Ascom/MS 16/03/2013 ás 9h

Compartilhe

Saúde amplia recursos para serviços de nefrologia