Sangari transforma-se em Abramundo e anuncia nova fase no Brasil

Fonte DFREIRE Comunicação e Negócios 31/03/2013 às 20h

Empresa especializada em Educação em Ciências supera etapa de grandes mudanças estruturais e societária em 2012 e projeta crescimento de até 15% para 2013

São Paulo,  março de 2013 – A Abramundo anuncia a incorporação da Sangari Brasil, empresa fundada em São Paulo em 1997 e que cria, desenvolve, produz e implementa metodologias e materiais educacionais para o aprendizado de Ciências no Ensino Fundamental. Desde o ano passado, a empresa iniciou uma nova gestão política e organizacional batizada de “Enxuta & Sustentável” por seu novo Presidente, Ricardo Uzal Garcia, ex-CEO interino da Crivo-Transunion e ex-Vice-presidente de Estratégia Internacional da Equifax. Ricardo traz ampla experiência internacional na profissionalização e no realinhamento organizacional e cultural de empresas, que possuem produtos e serviços inovadores, além de forte potencial de crescimento, mesmo em períodos de transição e/ou tr ansformação.

O legado
Embora com um novo posicionamento e uma nova marca, um dos legados que a Abramundo recebe é o CTC (Ciência e Tecnologia com Criatividade), programa de ensino de Ciências genuinamente brasileiro, resultado de dez anos de investimento em pesquisas e desenvolvido por especialistas altamente qualificados. O Programa utiliza a metodologia da investigação, focando não apenas no aprendizado teórico, mas também prático das crianças, por meio de livros diferentes para o professor e para o aluno, com rico material para experimentos em sala de aula, totalizando mais de 4.000 itens. Um aspecto altamente reconhecido do Programa são os serviços oferecidos, que incluem a formação inicial e continuada dos professores, inclusive com oficinas presenciais semestrais, acompanhamento e monitoramento contínuo, ações que destacam o CTC de outros programas. Outro grande diferencial é a expertise adquirida em distribuição e armazenamento do material de experimentação - incluindo seres vivos -, independente da localização da escola, bem como a capacidade de atendimento em pequena e larga escala.

O conteúdo das atividades é elaborado pela equipe de cientistas e professores da Abramundo, garantindo economia, alta qualidade e estímulo à prática de investigação em sala de aula. Atualmente, o Programa está presente em 16 estados, sendo mais de 100 escolas da rede privada e cerca de 350 escolas públicas. Porém, desde sua implementação, já atendeu mais de 500 mil alunos e 12 mil professores.

Reestruturação e Crescimento

O lançamento da nova marca reforça as três grandes fases da empresa: a reestruturação organizacional visando melhoria dos processos internos e da eficiência operacional, como a consolidação dos quatro sites de produção dos materiais; o reposicionamento da nova marca e de sua essência como uma empresa focada em educação em Ciências; e, por último, a fase do crescimento – consolidação da marca, aumento do portfólio de produtos e da penetração no mercado, tornando-se referência em educação em Ciências.

“A empresa alcançou seu ponto de equilíbrio financeiro em 2012 e as metas para os próximos anos são otimistas. Reestruturamos a diretoria, mantivemos grande parte da equipe e contratamos novos profissionais para nos ajudar nessa fase de crescimento e consolidação”, afirma o CEO da Abramundo, Ricardo Uzal Garcia, que diz estar totalmente focado na entrega de projetos educacionais de alta qualidade e valor agregado. Entre os nomes que compõem a nova equipe gestora estão três expoentes do setor educacional: Carminha Brant, ex- Superintendente do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), e Luis Carlos de Menezes, Físico e Professor da Universidade de São Paulo (USP), e Maristela Sarmento, ex-professora da PUC-SP, que acompanha a implementação e o desenvolvimento do CTC há seis anos.

Com investimento em inovação nas áreas de pesquisa e desenvolvimento, serviços e distribuição, e sempre buscando a excelência de seus produtos e processos, a Abramundo espera crescer entre 10% e 15% em 2013, e em torno de 20% a partir de 2014. Além disso, a empresa prepara novidades para 2013: uma nova coleção do CTC, seu principal produto; lançamento do projeto Oficina de Ciências; investimento no mercado de tecnologias digitais; desenvolvimento de produtos de Matemática, ampliando os temas dos seus materiais e a produção de material auxiliar para o Ensino Médio, abrindo um novo nicho de atuação da empresa, que, até então, só trabalhava com o Ensino Fundamental.

Abramundo e seu Conselho
A Abramundo aproveita o lançamento da nova marca para anunciar o seu novo Conselho de Apoio Técnico e Científico. Profissionais de renome contribuirão com seus conhecimentos e experiências para embasar os trabalhos da empresa e auxiliar na obtenção de seus objetivos. Entre os conselheiros estão Claudia Naves (Colégio Magnum), Guiomar Namo de Mello (Conselho Estadual de Educação – CEE) e Simon Schwartzman (Instituto de Estudos do Trabalho e Sociedade - IETS).

Instituto Abramundo
A Abramundo acredita que o conhecimento pode transcender a sala de aula e direciona seus esforços para disseminar a cultura científica por todo país por meio do Instituto Abramundo, braço social da empresa. Esse trabalho é realizado por meio de projetos de responsabilidade social, publicações e exposições, com o apoio de parceiros como a UNESCO, Unicamp, Museu de História Natural de Nova York, entre outras instituições igualmente comprometidas com a causa. O Instituto, criado em 2003, já realizou inúmeros projetos que atraíram mais de um milhão de visitantes, entre eles as exposições Darwin, Einstein, Revolução Genômica e Água, promovidas em parceria com o Museu de História Natural de Nova York e adaptadas por equipes brasileiras. Para este ano, estão prev istas três exposições em três estados brasileiros. A grande novidade será a exposição sobre Mudanças Climáticas.
O Instituto Abramundo também contará com um novo Conselho Consultivo, formado por grandes educadores e representantes das áreas de Cultura e Ciências como Alfredo Manevy (Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo), Fernando Rossetti (Grupo de Institutos Fundações e Empresas - GIFE), Marcelo Knobel (Universidade Estadual de Campinas - Unicamp), Priscila Cruz (Movimento Todos pela Educação) e Ricardo Guimarães (Thymus Branding).

Pesquisa
A Prova Brasil, principal avaliação que integra o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), era aplicada a cada dois anos aos alunos do 5º ao 9º anos do ensino fundamental, envolvendo somente Matemática e Português. A edição deste ano incluirá também a disciplina de Ciências, como anunciado recentemente pelo Ministério da Educação.

Com esta inclusão, a Prova Brasil também fica mais próxima do Programa Internacional de Avaliação (Pisa), teste aplicado em mais de 60 países pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Para inaugurar esse novo momento da Educação e da própria Abramundo, a empresa desenvolverá uma pesquisa sobre o estado da arte do ensino de Ciências, com a participação de sistemas escolares públicos e privados, Universidades, governos e instituições do terceiro setor. Essa grande rede de relacionamento terá condições de identificar e encaminhar problemas, discutir e propor novos métodos e conteúdos.

"Vamos estimular cada vez mais o debate sobre o aprendizado de Ciências, especialmente agora que o governo federal incluiu a disciplina no processo de avaliação do ensino fundamental pelo MEC, como sempre defendemos", complementa o CEO da Abramundo.

 

DFREIRE Comunicação e Negócios
Fonte DFREIRE Comunicação e Negócios 31/03/2013 ás 20h

Compartilhe

Sangari transforma-se em Abramundo e anuncia nova fase no Brasil