Saldo das trading companies aumenta no trimestre

Fonte Assessoria de Comunicação Social do MDIC 21/04/2013 às 10h

Saldo das trading companies aumenta no trimestre

Brasília (19 de abril) – De janeiro a março de 2013, as exportações brasileiras realizadas via trading companies somaram US$ 5,205 bilhões e as importações do segmento foram de US$ 986 milhões. Com isso, a corrente de comércio do setor totalizou US$ 6,191 bilhões e o saldo positivo alcançou US$ 4,220 bilhões.

Em relação ao total vendido pelo Brasil ao exterior no período (US$ 50,837 bilhões), as exportações das empresas trading companies representaram 10,2%, mesmo percentual registrado no primeiro trimestre de 2012. Já em relação ao total importado pelo país até março (US$ 55,992 bilhões), a participação foi de 1,8%, menor que o verificado no mesmo período do ano passado (2%).

No comparativo com o mesmo período de 2012, as vendas brasileiras dessa categoria de empresas (US$ 5,448 bilhões) recuaram 4,5% e as aquisições (US$ 1,310 bilhão) diminuíram 5%. O saldo entre janeiro e março do ano passado foi de US$ 4,138 bilhões e, portanto, houve aumento de 2% em relação ao mesmo período deste ano, o que, porém, não ocorreu com a corrente de comércio (US$ 6,758 bilhões), que retrocedeu 8,4%.

Mercados

O principal mercado de destino das exportações brasileiras do segmento, no trimestre, foi a China, com vendas de US$ 1,904 bilhão, representando 36,6% do total exportado. Na sequência, apareceram: Coreia do Sul (US$ 326,9 milhões, 6,3%), Japão (US$ 319,2 milhões, participação de 6,1%), Países Baixos (US$ 297,1 milhões, 5,7%), e Bélgica (US$ 199 milhões, 3,8%).

No acumulado até março, a China é também o principal mercado fornecedor das empresas trading companies brasileiras, com transações US$ 236 milhões, valor equivalente a 23,9% das compras totais. Na segunda posição está a Argentina (US$ 163,7 milhões, participação de 16,6%), seguida por Estados Unidos (US$ 150,6 milhões, 15,3%), México (US$ 88,0 milhões, 8,9%), e Reino Unido (US$ 77,5 milhões, 7,9%).

Produtos

As exportações de produtos básicos responderam por 83,8% do valor exportado neste ano pelas trading companies. Foram destaques: minério de ferro (US$ 3,155 bilhões, participação de 60,6% do total exportado), soja em grão (US$ 470,8 milhões, 9%), milho em grão (US$ 376,9 milhões, 7,2%), farelo de soja (US$ 159,0 milhões, 3,1%), carne de frango (US$ 113,3 milhões, 2,2%).

As vendas brasileiras do segmento de produtos industrializados, no acumulado do ano, corresponderam a 17,2% (manufaturados representaram 10,6% da pauta e os semimanufaturados, 5,6%), sendo os principais produtos comercializados: açúcar em bruto (US$ 235,1 milhões, 4,5%), suco de laranja congelado (US$ 204,7 milhões, 3,9%), açúcar refinado (US$ 58,8 milhões, 1,1%), café solúvel (US$ 49,1 milhões, 0,9%), e suco de laranja não congelado (US$ 47,2 milhões, 0,9%).

Na pauta de importação das trading companies, os bens industrializados representaram 98,9% (94,4% de manufaturados e 4,5% de semimanufaturados) e os produtos básicos corresponderam 1,1%. Os bens mais adquiridos pelo setor foram: automóveis de passageiros (US$ 350,8 milhões, participação de 35,6% do total importado), aparelhos transmissores e receptores de telefonia celular (US$ 83,5 milhões, 8,5%), pneumáticos (US$ 39,9 milhões, 4,1%), veículos de carga (US$ 37,5 milhões, 3,8%), e máquinas e aparelhos de terraplanagem (US$ 35,6 milhões, 3,6%).

Trading companies

As vendas ao exterior por intermédio das empresas trading companies são classificadas como exportações indiretas e são equiparadas às exportações diretas no aspecto fiscal. Elas apresentam vantagens, principalmente, para o pequeno e médio produtor nacional que não dispõem de uma estrutura própria dedicada às operações de comércio exterior.

Acesse os dados da balança comercial das trading companies

Assessoria de Comunicação Social do MDIC
Fonte Assessoria de Comunicação Social do MDIC 21/04/2013 ás 10h

Compartilhe

Saldo das trading companies aumenta no trimestre