Rugby: Tupis vencem equipes de ponta da Argentina antes de eliminatórias para o Mundial

Fonte ZDL Comunicação 01/04/2013 às 8h

 

Seleção masculina fecha tour no melhor país do continente da modalidade com duas vitórias, a última sobre vice-campeão nacional. Já as meninas mostraram seu talento em competição de sevens na China

São Paulo (SP) - A seleção brasileira masculina de rugby encerrou neste sábado (30) a série de amistosos na Argentina com uma vitória histórica e emocionante diante do La Plata, atual vice-campeão argentino e integrante da liga de rugby mais poderosa do país, a União de Rugby de Buenos Aires (URBA). O placar de 22 a 19 mostrou a evolução dos Tupis, que fecharam o tour com dois resultados positivos em três partidas. Os atletas se preparam para o principal desafio do ano, o Campeonato Sul-Americano de primeira divisão, o chamado Consur A. O evento será disputado entre os dias 27 de abril e 4 de maio nas cidades de Temuco (Chile) e Montevidéu (Uruguai) e também servirá como etapa sul-americana classificatória para a Copa do Mundo de Rugby de 2015 na Inglaterra.

Os Tupis estrearam na série de amistosos com vitória sobre o Albaroz por 54 a 17. Na sequência, foram superados pelo Los Tilos por 36 a 5. Os argentinos utilizaram todo seu plantel contra o Brasil e, com o número de substituições sendo ilimitado, praticamente 40 atletas foram testados. O Los Tilos usaram uma nova equipe no segundo tempo, enquanto o Brasil se manteve inalterado.

No sábado, os brasileiros fizeram o duelo mais difícil da viagem contra o La Plata. O clube platense usou as equipes de intermédia (reservas do plantel A) e pré-intermédia (plantel B) para enfrentar os Tupis. O clima seco e a temperatura em torno dos 32 graus na cidade argentina fizeram com que o juiz reduzisse a partida para dois tempos de 30 minutos cada. A primeira etapa foi muito equilibrada e o jogo praticamente não saiu do meio do campo nos primeiros 15 minutos. Foi aí que Lucas Tranquez, o Zé, conseguiu furar a defesa argentina e marcar o primeiro try para o Brasil, convertido por João Neto, o Torosso. O jogo permaneceu truncado e no fim do primeiro tempo Torosso converteu um penal e deixou o placar 10 a 0 para os Tupis.
No segundo tempo, o La Plata substituiu praticamente todos os seus titulares e com jogadores mais descansados iniciou sua reação. Foram dois tries seguidos dos argentinos. Mesmo valendo-se da possibilidade de substituições ilimitadas e estando desgastado pelas partidas anteriores, o Brasil apresentou um ótimo sistema de jogo. Faltando 8 minutos para o fim da partida, Belório e Lucas Bridge marcaram dois tries, colocando o Brasil novamente na frente do marcador (22 a 14). No minuto final, o La Plata conseguiu marcar mais um try, porém não havia mais tempo para recuperação e os brasileiros saíram de campo com a vitória por 22 a 19. Foi a primeira vez que o Brasil venceu uma equipe desse nível em solo argentino.

"Os jogos foram programados em uma sequência do mais fraco para o mais forte justamente para que a gente sentisse essa mudança gradual de nível. O trabalho com o time está sendo bem feito. O fato de termos muitos jogadores novos é um sinal de que o rugby está evoluindo no Brasil. Todos estão mostrando seu valor, trazendo uma competição saudável para o time e certamente farão o treinador pensar bem ao fazer a convocação para o Consur. Com a volta dos jogadores que estavam em Hong Kong o time ficará ainda mais forte", comentou Daniel Danielewicz, o Nativo, capitão do Brasil.

Os amistosos também foram marcantes para os irmãos Rafael e Guillermo Haiyashi Garcia, e seu amigo Lucas Bridger. Os três são brasileiros, mas moram na Argentina há mais de 10 anos e jogam rugby no Lomas Athletic Club, equipe da primeira divisão da União de Rugby de Buenos Aires (URBA). Uma entrevista feita pelo canal Sportv com os irmãos Garcia chamou a atenção da comissão técnica da seleção brasileira, que decidiu avaliar o potencial dos garotos no tour brasileiro pela Argentina. A experiência foi mais do quem bem avaliada pelos atletas que desejam representar cada vez mais as cores do Brasil.
"Gostei muito da forma de trabalho, do profissionalismo e da disposição de todos. Foi um pouco difícil adaptar ao novo sistema de jogo, mas com treino e prática vai ficando cada vez mais fácil. Foi uma experiência ótima e muito rica, tanto no rugby como pessoalmente", afirmou Rafael, de 22 anos.

Próximo desafio: México - Para dar continuidade à preparação da equipe para o Consur A, os brasileiros farão ainda mais duas partidas amistosas contra a seleção do México. O primeiro confronto será no dia 16 de abril (terça-feira), em São José dos Campos, e o segundo, no dia 20 (sábado) em São Paulo, sendo que este último contará com transmissão ao vivo do canal Sportv. Os mexicanos estão na 75ª posição no ranking mundial e até o momento disputaram apenas 12 partidas oficiais contra seleções, acumulando 5 vitórias, 1 empate e 6 derrotas.

Seleção Feminina surpreende na terceira etapa do Circuito Mundial - As Tupis também entraram em campo neste final de semana e fizeram bonito na terceira etapa do Circuito Mundial de Sevens (WSWS), disputada em Guangzhou (China). As brasileiras fizeram bons jogos contra algumas das melhores equipes da atualidade, incluindo a campeã mundial Austrália, e terminaram na oitava colocação. As campeãs da etapa foram as neozalendesas, que venceram a Inglaterra na final de Ouro por 19 a 5 e seguem líderes da competição com 54 pontos.

Na primeira fase, pelo grupo A, a seleção brasileira encarou Nova Zelândia, Holanda e Tunísia. A estreia foi contra a equipe da Oceania, líder do torneio. As neozelandesas dominaram a partida do início ao fim, pressionando bastante a saída de bola das brasileiras e fazendo com que as tupis se mantivessem quase o tempo inteiro no campo de defesa. Mesmo assim, o Brasil conseguiu segurar o placar em 29 a 0.
Contra as holandesas, as brasileiras tiveram uma atuação histórica e por pouco não conseguiram a vitória. As Tupis conseguiram impor seu padrão de jogo na primeira etapa e com um try de Xuxu, saíram para o intervalo com 5 a 0 de vantagem. Logo no início do segundo tempo, Edninha arrancou e passou para Gabi marcar mais um try para o Brasil, convertido por Xuxu. Mas a Holanda não se intimidou, procurou encontrar seu espaço e contou com as habilidades de Kelly van Harskamp para furar a forte defesa brasileira, empatando a partida em 12 a 12. Na última partida da fase de grupos, vitória da seleção brasileira por 24 a 0 diante da Tunísia. Edninha, Tatá, Mari e Xuxu marcaram.

As brasileiras encerraram a primeira fase como as melhores terceiras colocadas e assim avançaram as quartas de final da competição, onde encontraram o Canadá. As Tupis tiveram dificuldades na marcação, já que a equipe canadense impôs um ritmo forte desde o início. As canadenses marcaram três tries ainda no primeiro tempo, mas o Brasil não desistiu e conseguiu deter a posse de bola, impedindo que o Canadá ampliasse o marcador. Porém, Elissa Alarie encontrou espaços e marcou mais dois tries para as canadenses, fechando a partida em 33 a 0.

Nas semifinais de Prata, o Brasil encontrou novamente a Holanda, mas dessa vez a equipe europeia levou a melhor. A partida começou equilibrada, com os dois times trocando a posse de bola e só aos seis minutos Pien Selbeck conseguiu furar a defesa brasileira e marcar dois tries, sem conversão. Na segunda etapa, as equipes novamente mediram forças mas, assim como o confronto da primeira fase, Kelly van Harskamp fez a diferença e ampliou o marcador para as holandesas. Tessa Veldhuis ainda fez o seu no final do segundo tempo, decretando a vitória holandesa por 22 a 0.
O Brasil encerrou sua participação Sevens de Guangzhou disputando o sétimo lugar contra a tradicional Austrália, atual campeã mundial da modalidade. No primeiro tempo, as australianas aproveitaram a velocidade de suas atletas e abriram o placar com Shontelle Stowers logo no primeiro minuto de jogo. Apesar do susto, a defesa brasileira se portou muito bem no decorrer do jogo e conseguiu impedir novo avanço das campeãs mundiais. O Brasil conseguiu equilibrar a partida na segunda etapa, pressionando a defesa australiana. No último minuto Barbara Santiago, a Babi, chegou ao in goal adversário, mas Mari não conseguiu converter deixando o empate escapar. Entretanto, o placar de 7 a 5 foi muito comemorado já que as brasileiras mostraram muita qualidade diante de um oponente poderosíssimo. O Brasil está em 11° lugar na classificação geral com 11 pontos.

A última etapa do Circuito Mundial será disputada nos 17 e 18 de maio, em Amsterdã, na Holanda.

Confira a classificação do torneio após três etapas (Dubai, Houston e Guangzhou):
1- Nova Zelândia - 54 pontos
2- Inglaterra - 46 pontos
3- Austrália - 38 pontos
4- Estados Unidos - 36 pontos
5- Canadá - 34 pontos
6- Holanda - 26 pontos
7- Rússia - 24 pontos
8- África do Sul - 24 pontos
9- Espanha - 16 pontos
10- Irlanda - 12 pontos
11- Brasil - 11 pontos
12- Japão - 7 pontos

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) tem o patrocínio master do Bradesco e, como patrocinadores principais, Topper, Heineken e JAC Motors. Conta, ainda, com Grupo CCR, Alupar, CEMIG, Cultura Inglesa, Brookfield Incorporações e BR Properties como patrocinadores oficiais. Também são fornecedores e apoiadores do rugby brasileiro Travel Ace, Fortify, Probiótica, Deloitte, Cremer e JExperts. O rugby é o segundo esporte mais praticado no mundo, têm 5 milhões de jogadores e está presente em 120 países. No Brasil, são mais de 100 mil seguidores, mais de 200 agremiações esportivas e 10 mil atletas registrados, números que, somados à volta da modalidade ao programa olímpico nos Jogos do Rio 2016, fizeram a International Rugby Board (Federação Internacional de Rugby) eleger o Brasil como prioridade estratégica de investimento.
Mais informações no site www.brasilrugby.com.br

Siga o Rugby no twitter

Brasil Rugby no Facebook

ZDL Comunicação
Fonte ZDL Comunicação 01/04/2013 ás 8h

Compartilhe

Rugby: Tupis vencem equipes de ponta da Argentina antes de eliminatórias para o Mundial