Rubem Grilo, a trajetória do artista

Fonte Ascom/MinC 22/03/2013 às 17h

 

Mostra no MNBA reúne xilogravuras e abrange quatro décadas de criação

'Náufragos anônimos', de Rubem Grilo

Até o dia 5 de maio o público poderá visitar a exposição Rubem Grilo, a Trajetória do ArtistaAquisição de 500 Obras, no Museu Nacional de Belas Artes (MNBA), no Rio de Janeiro. A mostra é uma síntese da carreira de Grilo, um dos maiores gravadores vivos do Brasil. Compõe-se de 123 trabalhos de xilogravura criados pelo artista, que começou a produzir suas primeiras obras nos anos de 1970.

Rubem Grilo conquistou, em 2011, o Prêmio Marcantonio Vilaça, relativo ao Edital Prêmio Procultura de Estímulo às Artes Visuais – 2010, da Fundação Nacional de Artes (Funarte), vinculada ao Ministério da Cultura.

A mostra se insere na etapa conclusiva do projeto premiado pela Funarte, cujo compromisso consiste na transferência de 500 obras para o Gabinete de Gravura do MNBA, gerenciado pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), também vinculado ao MinC.

A aquisição atual das 500 criações de Grilo, relacionada à premiação, soma-se às 900 outras anteriormente doadas por ele ao Museu Nacional de Belas Artes.

A diretora do MNBA, Mônica Xexéo, ressalta a importância da instituição “contribuir para a divulgação de um artista tão singular, no panorama da arte brasileira”.

De acordo com o museu vinculado ao Ibram/MinC, o Gabinete de Gravura tem em seu acervo o mais numeroso e importante conjunto de imagens existente em instituição pública nacional, cumprindo sua função da defesa da memória e do patrimônio, por meio do Serviço de Catalogação, Restauro e Conservação.

'Fast-food', de Rubem Grilo

No dia 14 de abril, domingo, às 15 horas, no auditório do MNBA, será realizado um debate gratuito sobre a importância dos acervos públicos e a obra de Rubem Grilo.

O artista

Mineiro de Pouso Alegre, Minas Gerais, o artista Rubem nasceu em 1946, mas há muitos anos mora no Rio de Janeiro. Ilustrou diversos jornais, de 1973 a 1985, como ‘Opinião’, ‘Movimento’, Folhetim (‘Folha de São Paulo’, ‘Pasquim’ , ‘Retrato do Brasil’, dentre outros). Criou as vinhetas do Segundo Caderno na reforma gráfica do jornal O Globo, em 1995. Atualmente, é colaborador semanal da Ilustrada (Folha de São Paulo).

Recebeu prêmios como o Golfinho de Ouro, do Conselho Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, em 2002; 2º Prêmio da Xylon Internacional, Suíça, em 1990; Prêmio de viagem ao exterior- 1984, no Salão Nacional de Artes Plásticas; 1ª Bienal Internacional Del Grabado, Montevidéu, Uruguai – 1983.

Em 2011, foi contemplado com o Prêmio de Artes Plásticas Marcantonio Vilaça, com o projeto intitulado Rubem Grilo, a Trajetória do ArtistaAquisição de 500 Obras, inscrito pelo Edital de Concurso Público – Prêmio Procultura de Estímulo às Artes Visuais 2010, da Funarte.

Trabalhos de Rubem Grilo também ilustram várias revistas internacionais.

A exposição está aberta ao público de terça a sexta-feira, das 10h às 18h e aos sábados, domingos e feriados, de 12h até às 17h. Entrada franca.

O MNBA fica na Avenida Rio Branco, 199 – Cinelândia/RJ – Tel: (21) 2219-8474.

Visite o site do MNBA.

Ascom/MinC
Fonte Ascom/MinC 22/03/2013 ás 17h

Compartilhe

Rubem Grilo, a trajetória do artista