RNP e UnB inauguram a expansão da Rede Metropolitana de Brasília

Fonte Ascom da RNP 13/05/2013 às 17h

Será inaugurada nesta segunda-feira (13), às 17h30, a expansão da Rede Metropolitana de Brasília (rede GigaCandanga), na Universidade de Brasília (UnB).

 

Desenvolvida em tecnologia óptica, a rede transmite dados em alta velocidade e está voltada para o desenvolvimento das áreas de pesquisa e educação. Coordenada pela UnB e projetada em parceria com a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), a Gigacandanga é parte da iniciativa Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa.

Segundo o diretor de Engenharia e Operações da RNP, Eduardo Grizendi, com base em um plano piloto de 2007, a expansão acontece em duas fases e terá a conexão a mais 380 quilômetros de cabos ópticos no total. “Nesta primeira fase, serão entregues 180 quilômetros, que beneficiarão as cidades de Planaltina, Gama e Ceilândia”.

Com possiblidade de conexão a uma capacidade de rede de 10 Gb/s, essas regiões passarão a ter acesso ao desenvolvimento de pesquisas científicas e serão integradas a universidades e unidades de pesquisa, como a própria UnB e o Instituto Federal de Brasília. “A Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária [Embrapa] também será beneficiada na troca de informações”, explica o presidente do Comitê Gestor da Rede GigaCandanga, Leonardo Lazarte.

A infraestrutura metropolitana avançada no Distrito Federal está baseada em um modelo de gestão autossustentável que assegura a manutenção e a operação da rede.

Sobre a Redecomep

A Rede Comunitária de Educação e Pesquisa é uma iniciativa do Ministério da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI), coordenada pela Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP), que tem como objetivo implementar redes de alta velocidade nas regiões metropolitanas do país servidas pelos Pontos de Presença da RNP. O modelo adotado baseia-se na implantação de uma infraestrutura própria de fibras ópticas, voltada para as instituições de pesquisa e educação superior e na formação de consórcios entre as instituições participantes de forma a assegurar sua autossustentação.

A iniciativa de implantação da Redecomep está associada às atuais demandas em capacidade de comunicação de dados dessas instituições e os substanciais gastos em custeio para realizar a interconexão em área urbana. A principal motivação desse projeto é a interligação das instituições acadêmicas e de pesquisa em uma rede de alta velocidade, permitindo o desenvolvimento de projetos específicos que necessitem dessa infraestrutura, tais como: ensino a distância, telemedicina, laboratórios virtuais, bioinformática, computação distribuída e grids computacionais (Grid Computing), armazenamento distribuído, colaboração remota (teleconferência, videoconferência), vídeo digital (vídeo sob demanda, TV interativa), telefonia IP, visualização remota (jogos, simulação e ambientes de realidade virtual), serviços de diretórios, segurança ativa, etc.

Sobre a RNP

A Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) é uma organização social (OS), associada ao MCTI, responsável pelo Programa Interministerial RNP, que conta com a participação do Ministério da Educação (MEC), da Saúde (MS) e da Cultura (MinC). Pioneira no acesso à internet no Brasil, a RNP planeja e mantém a rede Ipê, a rede óptica nacional acadêmica de alto desempenho. Com Pontos de Presença em 27 unidades da federação, a rede tem mais de 800 instituições conectadas. São aproximadamente 3,5 milhões de usuários usufruindo de uma infraestrutura de redes avançadas para comunicação, computação e experimentação, que contribui para a integração entre o sistema de Ciência e Tecnologia, Educação Superior, Saúde e Cultura.

 

 

Ascom da RNP
Fonte Ascom da RNP 13/05/2013 ás 17h

Compartilhe

RNP e UnB inauguram a expansão da Rede Metropolitana de Brasília