Rio de Janeiro celebra os dois anos para Jogos de 2016

Fonte Brasil 2016 05/08/2014 às 22h
O dia 5 de agosto de 2014 é uma data especial para todos os amantes do esporte no Brasil. Vinte e três dias depois da final da Copa do Mundo 2014, o País inicia agora uma nova contagem regressiva.

A partir desta terça-feira (5), faltam apenas dois anos para a abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que serão realizados entre 5 e 21 de agosto de 2016. As obras estão em ritmo acelerado na capital fluminense, que em dois anos, receberá mais uma vez turistas de todos os continentes, desta vez para o maior evento esportivo do mundo.

Para os Jogos Olímpicos são esperados cerca de 10.500 atletas, de mais de 200 países, além de milhares de torcedores, do Brasil e do exterior, que acompanharão de perto as provas disputadas em 41 modalidades.

Mudanças estruturais nas áreas de transporte, infraestrutura urbana, meio ambiente e desenvolvimento social estão em curso na capital fluminense, além das obras para construção das instalações esportivas que receberão os Jogos.

O legado olímpico vai além das fronteiras da cidade do Rio de Janeiro e já é visível em várias regiões do Brasil por meio da Rede Nacional de Treinamento. Por meio dela, já foram inauguradas diversas pistas de atletismo, além do Centro Pan-Americano de Judô, em Lauro de Freitas, na Bahia, cujas obras foram entregues no final de julho.

O projeto olímpico brasileiro é baseado em três pilares – legado, economia de recursos públicos e simplicidade – e na parceria entre os três níveis de governo (Federal, Estadual e Municipal) e o Comitê Rio 2016.

Obras como as intervenções do Porto Maravilha e as linhas do BRT Transoeste (Barra a Santa Cruz e Campo Grande) e Transcarioca (Barra ao Aeroporto Internacional Tom Jobim) já fazem parte do novo sistema que vai aumentar o uso de transportes de alta capacidade de menos de 20% para mais de 60% até 2016.

No que diz respeito às instalações esportivas, o projeto olímpico brasileiro baseia-se nos princípios de economia, simplicidade e praticidade. A Arena Deodoro, por exemplo, terá 5 mil lugares durante os Jogos. Porém, apenas 2 mil lugares serão permanentes, o que diminuirá o custo de sua manutenção.

Já para o Parque Olímpico, a cidade criou um novo conceito, conhecido como arquitetura nômade, utilizada na Arena de Handebol. Após o evento, a instalação será desmontada e transformada em quatro escolas municipais.

Além disso, instalações permanentes vão deixar um grande legado, tanto para moradores quanto para os atletas de alto rendimento. Na área do Parque Olímpico, o Velódromo, parte do Centro de Tênis, o Parque Aquático Maria Lenk e os três pavilhões esportivos vão compor o Centro Olímpico de Treinamento (COT). Em Deodoro, o circuito de canoagem slalom e a pista de BMX farão parte do Parque Radical, voltado para a população jovem da região.

Para Denner Zacchi, diretor do Departamento de infraestrutura de Esporte da Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento do Ministério do Esporte, que acompanha de perto os trabalhos no Rio de Janeiro, a partir de agora as obras entram em uma nova fase, mais empolgante para todos.

“Com essa fase de elaboração de projeto e licitações praticamente concluída e com o início efetivo de quase todas as obras a tendência é que o cronograma de execução aconteça de uma forma muito mais significativa”, acredita Denner. “Agora entramos em uma fase mais interessante. Com a execução das obras, o volume do serviço começa a aparecer visualmente e isso dá um conforto maior a todas as entidades envolvidas. Além disso, acredito que os moradores do Rio de Janeiro vão entrar cada vez mais no clima dos Jogos Olímpicos, pois cada vez mais eles vão ver o que foi planejado ganhando forma”, destaca. “Em relação a Deodoro, que era o nosso último desafio, temos, agora, com o início das obras, que trabalhar para cumprir à risca o cronograma no prazo acordado com o Comitê Olímpico Internacional”, conclui Denner.

Durante os Jogos do Rio 2016, as competições serão realizadas em quatro regiões da cidade: Barra da Tijuca, Deodoro, Copacabana e Maracanã.
Brasil 2016
Fonte Brasil 2016 05/08/2014 ás 22h

Compartilhe

Rio de Janeiro celebra os dois anos para Jogos de 2016