Resex do Ituxi conclui mapeamento de castanhais

Fonte Comunicação ICMBio 30/03/2013 às 17h

CSC 0724Brasília  – Os gestores da Reserva Extrativista (Resex) de Ituxi, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em Lábrea, no Amazonas, acabam de concluir a segunda etapa do mapeamento dos castanhais utilizados pelos moradores da unidade de conservação (UC).

A atividade foi concentrada no Rio Curequetê, região de maior produtividade de casata na resex. O levantamento de dados foi feito por meio de entrevistas, histórico de vida dos moradores e formação de grupos com os castanheiros. Todos os castanhais foram visitados e georeferenciados.

Nas atividades realizadas na primeira etapa, em 2011, o mapeamento abrangeu os castanhais localizados só longo do Rio Ituxi e de parte dos rios Ciriquiqui e Punicici. O grupo levantou informações sobre conflitos envolvendo o uso de castanhais, estimativa de produção, valores praticados no mercado de Lábrea, além de outros dados de comercialização.

Agora, todos esses dados – tanto os da primeira como os da segunda etapa – servirão para fortalecer a cadeia produtiva da castanha, o principal produto extrativista da a reserva, e para identificar os desafios a serem trabalhados pelas organizações que atuam na UC.

Ao invés de se restringir aos limites da unidade de conservação, no mapeamento dos castanhais a equipe resolveu considerar todo o território abrangido pelos coletores de castanha da reserva extrativista.

“Os dados ainda estão sendo analisados, mas descobrimos que a coleta de castanha por moradores da UC acontece em outras áreas protegidas contíguas à unidade de conservação e em terras públicas não destinadas e sob forte pressão de desmatamento”, declarou Leonardo Pacheco, gestor da unidade de conservação.

Comunicação ICMBio
Fonte Comunicação ICMBio 30/03/2013 ás 17h

Compartilhe

Resex do Ituxi conclui mapeamento de castanhais