República Tcheca aguarda chegada de Bento XVI com pouca expectativa

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
A República Tcheca espera sem entusiasmo a visita do papa Bento XVI que, em três dias nesse país, fará escalas na capital Praga e as cidades de Brno e Starà Boleslav.

Para a imprensa, esta viagem, a quarta de um pontífice ao país, tem o status semelhante à visita do presidente norte-americano, Barack Obama, que esteve em Praga em abril passado. Contudo, a população está indiferente.

De acordo com uma pesquisa divulgada no país, apenas 5,2 % dos tchecos estão felizes com a viagem do Papa, enquanto 93,1% dizem que ficarão felizes quando ele deixar o país.

Os veículos de mídia tchecos ainda comparam a visita de Bento XVI às realizadas por João Paulo II, que visitou a nação por três vezes -- em 1990, 1995 e 1997. A primeira visita de Karol Wojtyla, cinco meses após a queda do comunismo, entusiasmou a população local, devido ao crédito que tinha o papa polonês, que viveu na pele o regime comunista.

"Com sua contribuição à queda da cortina de ferro [que separava os blocos capitalistas e comunistas na Europa] João Paulo II influiu substancialmente sobre a história de nosso país", opinou o bispo auxiliar de Praga, Vaclav Maly. Por outro lado, "Bento XVI não é um homem dos meios de comunicação de massa. Seus discursos não são pleonásticos, mas suas palavras são fortes".

Nos anos 90, a Igreja Católica prometia aumentar o número de fiéis e sua credibilidade. "Éramos ingênuos, pensávamos que, com a liberdade, as pessoas dariam mais espaço aos valores do espírito, redescobrindo as igrejas. Nos iludimos", disse, por sua vez, o cardeal Miloslav Vlk, arcebispo da capital tcheca.

Joseph Ratzinger enfrentará ainda um outro preconceito, por sua nacionalidade, já que os nazistas alemães ocuparam a República Tcheca durante a Segunda Guerra Mundial. Acredita-se, inclusive, que por este motivo ele preferiu fazer seus discursos em inglês e italiano, ao invés de sua língua-mãe, embora parte da população tcheca fale alemão.

Viagem Apostólica

Bento XVI deixará a Itália na manhã de sábado e deverá chegar à capital tcheca, Praga, às 11h30 locais (6h de Brasília). A visita é uma resposta ao convite do presidente Václav Klaus e dos bispos tchecos.

Logo após a cerimônia de boas-vindas, o Papa visitará o Menino Jesus de Praga, localizado na igreja de Santa Maria da Vitória. Depois, fará uma visita de cortesia ao presidente e se reunirá com autoridades políticas, civis e diplomáticas do país.

Ainda no sábado, o Pontífice presidirá uma Celebração das Vésperas com os Sacerdotes, Religiosos, Religiosas, Seminaristas e Movimentos Leigos na Catedral dos Santos Vito, Venceslau e Adalberto, em Praga. Neste dia espera-se que ele faça três discursos.

Na manhã de domingo, o Pontífice deve ir a Brno, onde celebrará uma missa e recitará o Angelus. À tarde, retornará a Praga para um encontro ecumênico e uma reunião com acadêmicos. Em ambas ocasiões são esperados discursos de Ratzinger.

Na segunda-feira, Bento XVI irá a Stará Boleslav pela manhã. Na localidade, visitará a igreja de São Venceslau, patrono do país, e celebrará uma missa na Festa Litúrgica de São Venceslau. Ele destinará também uma mensagem aos jovens, e à tarde retornará à capital, onde almoçará com bispos da República Tcheca e com a comitiva papal no acerbispado de Praga antes de deixar o país.

Esta será a 13ª viagem internacional do Pontífice. Recentemente, ele esteve na África e no Oriente Médio e, em 2007, visitou o Brasil.

Especula-se que a viagem tem também o objetivo de reforçar a presença católica no país, já que a República Tcheca é um dos poucos países europeus que não estipulou com o Vaticano um acordo sobre o status da Igreja Católica, que foi considerado desvantajoso pelo Estado por violar a paridade dos direitos das igrejas e, portanto, rejeitado pelo Parlamento tcheco em 2003.

Especialistas opinam que uma lei para regulamentar as relações entre o Estado e a Igreja pode contribuir ao aumento da credibilidade católica em uma sociedade ateia e liberal como a tcheca, onde 3,2 milhões de seus cerca de 10,5 milhões de habitantes são cristãos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

República Tcheca aguarda chegada de Bento XVI com pouca expectativa