Renzi critica gestão da Alitalia e recusa nova ajuda

Fonte ANSA 13/08/2014 às 7h

Para premier, é preciso ter coragem de deixar empresas falirem

•ROMA•ZLR

(ANSA) - O primeiro-ministro da Itália, Matteo Renzi, afirmou nesta terça-feira (12) que é "obrigatório" não colocar mais recursos públicos na Alitalia, companhia aérea do país que recebeu investimentos da estatal de correios Poste Italiane para escapar de uma grave crise financeira. Segundo o premier, em alguns casos é preciso ter coragem para deixar falir empresas que mais parecem "umas carroças".

"Nós colocamos tanto dinheiro público que fazer isso de novo seria inaceitável. Mas é preciso fazer os executivos pagarem pelo dinheiro que eles jogaram fora, ao invés de dar-lhes prêmios de produtividade. O problema é que na Itália se prefere fingir que nada aconteceu", disse o chefe de governo, durante entrevista a um programa da emissora "Rai".

Segundo o primeiro-ministro, faltou "capacidade gerencial" para promover uma administração mais eficiente na Alitalia. A Poste Italiane se tornou a segunda maior acionista da companhia aérea ao investir 75 milhões de euros (R$ 225 milhões) em um aumento de capital de 300 milhões de euros (R$ 900 milhões) realizado no final do ano passado.

A medida evitou que a empresa fosse à bancarrota. No início deste mês, a estatal decidiu aplicar mais 75 milhões de euros, como parte de um projeto para relançar a Alitalia, a partir de uma fusão com a Etihad Airways. (ANSA)
ANSA
Fonte ANSA 13/08/2014 ás 7h

Compartilhe

Renzi critica gestão da Alitalia e recusa nova ajuda