Reduc se compromete a reduzir em 60% os poluentes despejados na Baía de Guanabara

Fonte Agência Brasil 13/03/2013 às 19h

 

Rio de Janeiro - Nos próximos cinco meses, a Refinaria Duque de Caxias (Reduc), na Baixada Fluminense, vai diminuir em até 60%, até agosto, o despejo de resíduos poluentes na Baía de Guanabara, disse hoje (13) o secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc. A Reduc assinou, em 2011, o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com o governo do estado se comprometendo a investir cerca de R$ 1,08 bilhão em melhorias ambientais até 2017. O TAC da Reduc é o termo de maior valor assinado até agora no Brasil.

De acordo com Minc, em pouco mais de um ano de cumprimento do TAC, a Reduc já promoveu uma série de avanços na área ambiental. "Eles efetuaram um projeto de tratamento de gases que possibilitou a redução de poluentes relacionados à chuva ácida por exemplo, e também estão finalizando a instalação da primeira fase da estação que permitirá o tratamento de 1.200 metros cúbicos por hora de efluentes contaminados, que poderá resultar em reúso desse material tratado. Nós temos atualmente mais de 80% desse trabalho por parte da Reduc concluídos", declarou.

O secretário, no entanto, citou que a refinaria ainda está atrasada na instalação de sistema de monitoramento, dificultando o envio de dados reais para o Instituto Estadual do Ambiente (Inea). “ A Reduc inclusive solicitou mais prazo para finalizar esta ação, porém o Inea irá notificar de que não aceita mais nenhuma prorrogação nos prazos apresentados", disse Minc.

Com 54 ações que precisam ser cumpridas ao longo de seis anos, o TAC da Reduc, tem como objetivo geral a redução de 80% das emissões atmosféricas poluentes e de 70% dos efluentes contaminados orgânicos e oleosos despejados na Baía de Guanabara.

Ao todo, a Reduc já investiu mais de R$ 450 milhões para reparar danos causados por despejos de resíduos poluentes na Baía de Guanabara.

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 13/03/2013 ás 19h

Compartilhe

Reduc se compromete a reduzir em 60% os poluentes despejados na Baía de Guanabara