Recomendações da PF para segurança do Enem foram cumpridas, diz Haddad.

Fonte Agência Brasil. 03/12/2009 às 11h

O ministro da Educação, Fernando Haddad, fala a emissoras de rádio, no estúdio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), sobre o novo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que será realizado no próximo fim de semana em todo o país 
O ministro da Educação, Fernando Haddad, disse hoje (3) que todos os procedimentos e as recomendações feitas pela Polícia Federal para o esquema de segurança do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram “atendidos sem exceção”.

“Estamos confiantes de que tudo vai se sair bem. A Polícia Federal acompanhou todo o processo e fez muitas recomendações de ponta a ponta. Desde a saída do disquete dos cofres do Inep [Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira] até o recolhimento das folhas de resposta, tudo passou por uma revista. Todo o investimento foi feito e não se economizou um centavo”, afirmou.

Segundo o Inep, o plano de operação do Enem tem o envolvimento das polícias militares das 27 unidades federativas, além do Exército, da Marinha, Aeronáutica e Polícia Federal. As provas serão aplicadas neste final de semana a 4,1 milhão de candidatos.

O exame estava marcado para outubro, mas teve que ser adiado porque a prova foi furtada da gráfica que imprimia o material em São Paulo. Durante entrevista ao programa Bom Dia, Ministro, no estúdio da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Haddad disse que espera que os culpados sejam punidos “exemplarmente”.

“Eles não prejudicaram o governo, mas 4 milhões de pessoas que tinham planejado fazer uma prova em outubro e sofreram transtornos. Mesmo que obtenhamos o ressarcimento do valor pago pela impressão da primeira prova, cerca de R$ 30 milhões, isso vai levar tempo e o prejuízo está dado. As pessoas precisam ter mais responsabilidade, sobretudo quando o assunto é educação.”

Agência Brasil.
Fonte Agência Brasil. 03/12/2009 ás 11h

Compartilhe

Recomendações da PF para segurança do Enem foram cumpridas, diz Haddad.