Rebeldes sírios dizem estar dispostos a libertar capacetes azuis

Fonte Ansa flash 09/03/2013 às 1h

Um porta-voz do grupo disse que os oficiais não foram seqüestrados, mas "protegidos de bombardeios"

BEIRUTE, 8 MAR (ANSA) - O grupo de rebeldes sírios que deteve 21 soldados de origem filipina das Forças de Paz da Organização das Nações Unidas (ONU) em Golã anunciou, em entrevista à ANSA, estar pronto para libertar os capacetes azuis.

De acordo com Abu Issam Tasyil, porta-voz da brigada Mártires de Yarmuk, "estávamos prontos para libertá-los" nesta sexta-feira, mas a iniciativa foi interrompida quando teve início um bombardeio nas proximidades da cidade Jamla, no sudeste da Síria. "Tanto eles como nós tivemos que nos retirar. A operação foi um desastre graças às forças do regime" de Bashar al Assad, disse.

Tasyil explicou que os capacetes azuis não foram seqüestrados, mas "protegidos de bombardeios" e que para que eles possam ser libertados, é preciso que as tropas do governo deixem a região e cessem os ataques.

Ainda segundo o rebelde, o povoado de Jamla e toda a região vêm sendo atacados pelas forças de Assad há cerca de um ano, razão dos postos da ONU no local terem sido evacuados.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 09/03/2013 ás 1h

Compartilhe

Rebeldes sírios dizem estar dispostos a libertar capacetes azuis