Raupp sugere cooperação à altura da história de Brasil e Portugal

Fonte Ascom do MCTI 21/03/2013 às 10h
O ministro português da Educação e Ciência, Nuno Crato, encerrou visita oficial de três dias ao Brasil, nesta quarta-feira (20), com o lançamento de um edital de nanotecnologia e novas perspectivas para a cooperação bilateral em biotecnologia. Ele se encontrou com o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, em compromissos na Embaixada de Portugal em Brasília e no Ministério da Educação (MEC).

 

“Tivemos um sucesso muito grande nas nossas primeiras conversações e decidimos ampliar substancialmente a cooperação”, disse Raupp no MEC, durante ato de lançamento do edital, da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) com o Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL). “Vamos em frente para desenvolver uma cooperação que a história dos nossos países merece.”

O edital da Capes deriva de memorando de entendimento assinado em 8 de março pelo ministro da Educação, Aloizio Mercadante, com a pasta comandada por Crato e a Secretaria de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Ministério da Economia e Competitividade da Espanha. O acordo garante acesso de instituições de ciência e tecnologia, pesquisadores e estudantes brasileiros ao INL, centro luso-espanhol com sede na cidade portuguesa de Braga.

Facilidades

Ao anunciar a parceria, o presidente da Capes, Jorge Almeida Guimarães, ressaltou a “estrutura espetacular” do INL. “O edital busca atrair as competências e, sobretudo, a rede de nanotecnologia que já existe no Brasil, por meio do MCTI, para o desenvolvimento de projetos, visando explorar essas facilidades em infraestrutura, equipamentos e pessoal que o laboratório de Braga tem”, explicou.

O ministro Raupp se dispôs a cumprir a função da pasta no arranjo. “Temos a intenção de implementar esse acordo efetivamente em nossas instituições de ciência e tecnologia. Essa vai ser a missão do MCTI”, completou. “Tanto em biotecnologia quanto em nanotecnologia, temos possibilidades importantes.”

Segundo Guimarães, o edital tem três linhas de operação: “Apoiaremos projetos brasileiros em parceria com equipes do INL, projetos brasileiros com grupos de outros países europeus e projetos mais individualizados, que envolvam empresas, com um componente maior de sigilo, portanto”.

A agenda do Ano do Brasil em Portugal prevê um encontro sobre nanotecnologia em Braga, em 16 de abril. “Desse seminário, sairemos com informações mais completas sobre o que seria possível desenvolver em um edital complementar”, adiantou Guimarães. A equipe brasileira no evento deve ter representantes do MCTI, do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) e da Finep, agência financiadora vinculada ao MCTI, além de universidades.

Colaboração

O secretário executivo do MEC, José Henrique Paim, destacou a relevância da integração com o país ibérico. “Garanto que daremos um apoio importante, tanto no Ciência sem Fronteiras quanto nas várias ações que vamos desenvolver em conjunto”, afirmou. Portugal é o segundo destino em número de participantes do programa de mobilidade acadêmica, com 2.610 bolsas concedidas. Até o momento, 2.140 estudantes brasileiros já desembarcaram em universidades lusitanas.

Formada por governo, empresas e instituições de ensino, a delegação portuguesa chegou ao Brasil na segunda-feira (18) e visitou as sedes do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e da Finep, no Rio de Janeiro, e do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), em Campinas (SP), entre outras instituições. Na capital federal, Nuno Crato se reuniu ainda com o presidente do CNPq, Glaucius Oliva, com quem assinou acordo de cooperação.

 

Ascom do MCTI
Fonte Ascom do MCTI 21/03/2013 ás 10h

Compartilhe

Raupp sugere cooperação à altura da história de Brasil e Portugal