Próximo governo do Uruguai deverá ser "rápido" para estreitar relações com Brasil

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O candidato à presidência uruguaia pela coalizão governista Frente Ampla, senador José Mujica, opinou que o presidente que assumir o Uruguai, no próximo ano, deverá estreitar as relações com o Brasil antes que sejam iniciadas as campanhas eleitorais brasileiras.
 
"O novo governo (uruguaio, ndr.), que assumirá em março, vai ter que aproveitar os primeiros meses antes que comece a campanha eleitoral no Brasil, entre julho e agosto (do próximo ano). Seria bom se mover rápido", comentou Mujica, que está em Brasília, onde se reunirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva nesta quinta-feira.

O senador, ex-guerrilheiro tupamaro, chegou ontem ao país ao lado de seu companheiro de chapa, o ex-ministro uruguaio da Economia Danilo Astori.

Em uma coletiva de imprensa na Embaixada uruguaia, Mujica e Astori ressaltaram que são "muito grandes" as expectativas desta viagem, já que o Brasil é o principal destino das exportações do país e um "líder natural" do Mercosul.

"Como uruguaios, não podemos ignorar a importância que o Brasil tem, e Lula é um velho amigo", comentou Mujica, ressaltando que "as relações pessoais sempre são importantes, ainda mais quando se trata de um presidente do Brasil".

"O Brasil é o líder natural do Mercosul, e tem muita experiência nos temas e problemas da região, além de ser o principal cliente para nossas exportações", ratificou o senador, que definiu o país como "o irmão mais velho do Uruguai".

Os candidatos da Frente Ampla afirmaram que pedirão "colaboração" em intercâmbios acadêmicos, investimentos e ajuda na construção de moradias de baixo custo, durante o encontro que terão com Lula.

"Lula é um modelo muito interessante, que ensina muito do que se pode fazer a partir de uma perspectiva de esquerda e no contexto do mundo atual a favor das grandes maiorias de um país", disse o senador, que já destacou em diversas ocasiões sua admiração pelo mandatário brasileiro.

Hoje, Mujica será recebido pelo ministro brasileiro das Relações Exteriores, Celso Amorim, enquanto Astori terá uma reunião com o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Os dois também se encontrarão com dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT).

A delegação da Frente Ampla, composta ainda pelo secretário da legenda, Eduardo Bonomi, ficará no Brasil até esta quinta-feira, quando voltará a Montevidéu em um avião particular da empresa alimentícia uruguaia Fripur, segundo informou o jornal El Observador.

Os candidatos devem viajar também para o Chile, para uma reunião com a presidente Michelle Bachelet.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Próximo governo do Uruguai deverá ser "rápido" para estreitar relações com Brasil