Programa Doce Desafio tem nota máxima no PROEXT

Fonte Secretaria de Comunicação da UnB 27/05/2013 às 15h

Programa Doce Desafio tem nota máxima no PROEXT

Iniciativa para combater diabetes mobiliza cerca de 155 pessoas entre profissionais, monitores e pacientes e é mantida com verba de editais públicos.

O Doce Desafio - diabetes, educação em saúde e atividades físicas orientadas foi avaliado com nota cem. É a pontuação máxima em seleção de edital lançado este ano pelo Programa de Extensão Universitária (PROEXT) do Ministério da Educação. Desenvolvido na Universidade de Brasília há 12 anos, o programa Doce Desafio promove cursos, congressos e dá suporte a diabéticos no Distrito Federal. “Fiquei muito feliz com o resultado. Não só por sermos o primeiro classificado da UnB e, na área de Esporte e Lazer, o segundo do Brasil, mas porque é com recursos de editais que a gente tem se mantido”, comemora Jane Dullius, coordenadora do programa.

O PROEXT apoia financeiramente programas e projetos de extensão universitária, com ênfase na formação de alunos e na inclusão social. “Precisamos de recursos inclusive para termos materiais para promover bem o programa e dar segurança à comunidade atendida”, diz Dullius. Além dos eventos e do apoio a diabéticos tipos I e II, o Doce Desafio faz orientações em visitas a escolas.

O programa presta atendimentos no Centro Olímpico da UnB e no Centro de Saúde nº 3 de Ceilândia. Nesses locais, os pacientes passam por avaliação, acompanhamento das alterações metabólicas, exercícios físicos supervisionados e atividades educativas com palestras, vídeos e oficinas. As equipes possuem cerca de 75 pacientes e contam com o apoio de 70 monitores e nove professores de áreas como Educação Física, Saúde Coletiva, Fisioterapia, Nutrição, Comunicação, Estatística e Engenharia Mecatrônica.

Mariana Costa/UnB Agência
 

Roseny Fernandes Feitosa, 51, é atendida pelo programa extensionista há quase seis anos. Ela adquiriu a diabetes nos últimos meses da gestação da Juliana, sua filha mais velha. Durante a gravidez, Roseny fez o acompanhamento pré-natal e controlou a diabetes, mas parou o tratamento logo após Juliana nascer. Só depois de 17 anos, ela voltou a cuidar da saúde. “Eu tinha um sentimento de não aceitação da doença. E já não conseguia fazer muitas coisas, como levantar o braço”, conta.

De acordo com a paciente, o programa orienta o diabético a conviver com a doença, perceber quais são os sintomas da diabetes, entender e vivenciar uma alimentação saudável e praticar exercícios físicos com regularidade. “Todas as expectativas eu alcanço ali, na medida do possível. Pretendo não sair de lá nunca”, conta sorridente.

 

SERVIÇO

Locais de atendimento

Ceilândia - Centro de Saúde 03. Das 8h às 10h30, às terças e quintas-feiras.

Campus Darcy Ribeiro - Centro Olímpico. Das 8h às 10h e das 14h às 16h, as segundas, quartas e sextas-feiras.

 

Os interessados em participar do programa devem agendar visita ao grupo pelo telefone (61) 3107- 2556. No dia da visita, é necessário levar aos monitores os exames mais recentes de hemoglobina glicada e o diagnóstico de diabetes, tipo I ou II.


O site do programa possui outras informações aos interessados
http://www.proafidi.com.br 
 

Secretaria de Comunicação da UnB
Fonte Secretaria de Comunicação da UnB 27/05/2013 ás 15h

Compartilhe

Programa Doce Desafio tem nota máxima no PROEXT