Professores da Universidade Federal de São Paulo decidem nesta terça se aderem à greve nacional

Fonte Agência Brasil 21/05/2012 às 18h
Os professores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) decidem se começam amanhã (21) uma paralisação por tempo indeterminado. Uma assembleia está marcada para as 12h, na capital paulista. A mobilização faz parte da greve nacional dos docentes das universidades federais, iniciada no dia 17 de maio, e já conta com a adesão de mais de 38 das 59 instituições.

De acordo com a Associação dos Docentes da Unifesp (Adunifesp), a Unifesp já tem um campus em greve (Diadema), dois com indicativo de greve (Baixada Santista e São Paulo) e dois que vão fazer assembleias locais hoje (Osasco e São José dos Campos).

Os professores reivindicam melhorias no atual plano de carreira dos docentes. De acordo com a presidente da Associação dos Docentes da Unifesp, Virgínia Junqueira, a universidade deverá enfrentar problemas em breve caso o atual plano não seja revisto. “A expansão da universidade está prejudicada. Com o atual plano, não teremos mais novos candidatos [a professor]”, disse.

Procurada, a Unifesp disse, via assessoria de imprensa, que irá aguardar a decisão dos professores sobre a assembleia de amanhã para se pronunciar.

A Unifesp tem em seu quadro 1.213 docentes. No Vestibular 2012, a Unifesp ofereceu 2.869 vagas em seus cursos de graduação. Atualmente, a instituição conta com 9.430 alunos matriculados nos cursos de graduação e 3.144 nos cursos de pós-graduação stricto sensu (doutorado, mestrado e mestrado profissionalizante) e 5.847 na pós-graduação lato sensu (especialização e aperfeiçoamento).

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 21/05/2012 ás 18h

Compartilhe

Professores da Universidade Federal de São Paulo decidem nesta terça se aderem à greve nacional