Primeiro-ministro da Tunísia diz que seu país nunca será uma teocracia

Fonte Ansa flash 21/05/2013 às 20h

O premier explicou que "o árabe é a língua do Estado e o Islã é a sua religião, mas que o Estado nunca será teocrático e não vai praticar a discriminação"

DOHA, 21 MAI (ANSA) - O primeiro-ministro tunisiano, Ali Laarayedh, declarou hoje que a "nova Tunísia" "não será um Estado teocrático e não vai ter discriminações".

Discursando no 13º Fórum de Doha, no Catar, Laarayedh disse que a "segunda república da Tunísia será baseada em valores humanistas, civis, democráticos e pluralistas, além disso, na justiça, na igualdade e na neutralidade da administração pública".

O primeiro-ministro explicou que "o árabe é a língua do Estado e o Islã é a sua religião, mas que o Estado nunca será teocrático e não vai praticar a discriminação e a repressão religiosa, sujeitando os seus cidadãos não-muçulmanos a tratamentos cruéis e desumanos".

O discurso de Laarayedh foi pronunciado poucas horas após os tumultos registrados na Tunísia, provocados pela proibição por parte do governo de realizar o congresso do movimento salafista Ansar al-Sharia, grupo que pede a adoção da lei islâmica no país como prelúdio para o estabelecimento do califado.
Durante os confrontos, um jovem manifestante morreu na capital, Tunis, e mais de 15 policiais e militantes salafistas ficaram feridos na cidade de Kairuán. Cerca de 200 membros da Ansar al-Sharia foram detidos.

Ansa flash
Fonte Ansa flash 21/05/2013 ás 20h

Compartilhe

Primeiro-ministro da Tunísia diz que seu país nunca será uma teocracia