Presidente uruguaio diz que não reconhecerá eleições em Honduras

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente do Uruguai, Tabaré Vázquez, disse hoje que não reconhecerá as eleições presidenciais que ocorrerão em Honduras no dia 29 de novembro, já que foram "convocadas por um governo inconstitucional".

O anúncio foi feito pelo mandatário em uma entrevista concedida em Washington, após ter se reunido com os 33 embaixadores que integram o Conselho Permanente da Organização dos Estados Americanos (OEA).

Durante o encontro, Vázquez explicou que "deixou de reconhecer a embaixadora de Honduras [em Montevidéu], por não representar o governo constitucional do país".

No dia 28 de junho, um golpe de Estado tirou do poder o presidente eleito, Manuel Zelaya, que foi substituído por Roberto Micheletti, até então presidente do Congresso.

Vázquez reiterou que seu país "não reconhecerá um eventual governo que poderia surgir da atual conjuntura", e assegurou que o Uruguai é "categórico ao rejeitar o golpe de Estado e exigir o restabelecimento da ordem constitucional".

O mandatário também comentou o acordo que a Colômbia assinará com os Estados Unidos para ceder sete bases em seu território a até 1.400 oficiais norte-americanos.

Ele afirmou que é contra a instalação de militares estrangeiros em bases da América Latina, mas garantiu que respeitará os princípios da não intervenção e da livre determinação dos povos.

Antes de discursar diante do Conselho Permanente da OEA, Vázquez se reuniu com o secretário-geral da organização, o chileno José Miguel Insulza.

Em Washington, o mandatário já havia se encontrado com a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, e com o presidente do Banco Mundial, Roberto Zoellick. Amanhã, ele viaja a Nova York, onde participará da Assembleia Geral da ONU.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Presidente uruguaio diz que não reconhecerá eleições em Honduras