Presidente paraguaio critica decisão da Venezuela de fechar rádios

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente do Paraguai, Fernando Lugo, qualificou como um ato de "violência" o fechamento de veículos de comunicação, seja na Venezuela ou em qualquer outro país.

Ao ser questionado sobre o que achava do governo do presidente venezuelano, Hugo Chávez, cancelar os direitos de transmissão de 34 rádios do país, Lugo afirmou que considera uma "violência calar a voz de um meio de comunicação" e que é contra qualquer ação do tipo.

O mandatário pontuou ainda que não aceita que as rádios paraguaias sejam fechadas "sem motivo e sem que ninguém diga nada". "E tampouco compartilho (a ideia, ndr.) de que na Venezuela sejam fechadas rádios por terem opiniões diferentes", disse Lugo, assegurando que seu governo está empenhado em "construir uma democracia genuína, autêntica e fortalecida".

No início do mês, o ministro venezuelano de Obras Públicas, Diosdado Cabello, que é presidente da Comissão Nacional de Telecomunicações (Conatel), anunciou que o direito de transmissão das rádios seria suspenso devido a irregularidades.

As rádios fechadas fazem parte de um total de 240 que, segundo as autoridades, não entregaram os documentos necessários dentro do prazo estipulado em um processo de recadastramento.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Presidente paraguaio critica decisão da Venezuela de fechar rádios