Presidente do CNPq destaca papel dos institutos na busca pela inovação

Fonte Ascom do INT 02/05/2013 às 11h
 
 
“Para consolidar o processo de inovação é fundamental entender o papel e a missão dos institutos de Ciência e Tecnologia [ICTs]”, afirmou o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI), na terça-feira (30), em palestra no Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI), no Rio de Janeiro.

 

“Os institutos são fundamentais para traduzir as pesquisas para novos processos, produtos e serviços, que serão consolidados, efetivamente, pelo setor privado”, disse. Ele demonstrou que o CNPq está cada vez mais afinado com o objetivo da inovação, atento às necessidades de interação entre universidade, ICTs e empresas.

“Cabe aos ICTs buscar as fronteiras da pesquisa tecnológica e oferecer mais do que serviços, pois, ao contrário desses, as pesquisas de ponta são algo que as empresas não vão conseguir fazer sozinhas”, defendeu.

O presidente da agência de fomento destacou o histórico do INT na promoção do desenvolvimento tecnológico do país e a pró-atividade do instituto em sua resposta à sociedade como um dos órgãos executores do atendimento piloto da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Segundo avaliou, “o instituto deve assumir cada vez mais, como órgão do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o protagonismo em questões ligadas à inovação”.

Glaucius Oliva mostrou também à plateia, formada por pesquisadores do INT, as novidades da Plataforma Lattes, que agora tem abas onde se podem registrar informações sobre inovação, patentes e registros, além de popularização da ciência e tecnologia. Os novos indicadores, que contam com mecanismos de validação por empresas e órgãos de propriedade intelectual, atendem a antigas demandas dos pesquisadores envolvidos com projetos de desenvolvimento tecnológico e inovação, além dos divulgadores da ciência.

Novo código

Outro ponto abordado pelo palestrante é o Projeto de Lei 2177/2011, que institui o Código Nacional de Ciência, Tecnologia e Inovação. A proposta tramita no Congresso Nacional visando regulamentar investimentos para instituições públicas e privadas que atuam na área. Poderá simplificar a legislação e agilizar processos que visam ao desenvolvimento científico e tecnológico no Brasil, adequando inclusive o cumprimento da Lei de Licitações (8.666/1993) às necessidades de contratação de serviços dos ICTs.

O diretor do INT, Domingos Naveiro, que integra o Conselho Deliberativo do CNPq, mostrou-se satisfeito com os novos direcionamentos e percepções do órgão em relação ao processo de inovação. “É uma honra participar do conselho e dessas mudanças”, disse.

 

 

Ascom do INT
Fonte Ascom do INT 02/05/2013 ás 11h

Compartilhe

Presidente do CNPq destaca papel dos institutos na busca pela inovação