Presidente de Honduras critica Obama por atuar timidamente contra golpe

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O mandatário deposto de Honduras, Manuel Zelaya, criticou hoje o presidente norte-americano, Barack Obama, por haver atuado "timidamente" em relação ao golpe de Estado que o tirou do poder, no dia 28 de junho.

Após falar diante da Comissão Permanente do Congresso do México, país que visita desde ontem, Zelaya afirmou que, se quisesse, Obama poderia promover sua restituição "em cinco minutos", revertendo o golpe "com apenas uma das mãos".

Ele pediu aos Estados Unidos que atuem "com mais energia" para pressionar o governo de facto e seu presidente, Roberto Micheletti, que assumiu seu lugar. Segundo Zelaya, a ação da Casa Branca é um fator determinante para obter a normalização democrática em Honduras.

"Nossa economia depende dos Estados Unidos, país com o qual mantemos 70% de nossa atividade econômica e relações militares", indicou. "Os Estados Unidos precisam entender esta mensagem, porque eles próprios estarão em risco se a violência começar a surgir" na América Latina, emendou.

O mandatário deposto também elogiou a "boa vontade" do presidente costa-riquenho, Oscar Arias, mediador do diálogo que busca solucionar a crise hondurenha, mas disse que ele foi "traído pelos militares golpistas".

Desde que Zelaya foi tirado do poder, Washington tem manifestado apoio a sua imediata restituição, e para tanto já suspendeu a cooperação militar que mantinha com Honduras.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Presidente de Honduras critica Obama por atuar timidamente contra golpe