Presidente da Itália realiza visita a soldados italiano no Líbano

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, chegou hoje à base libanesa de Shama, que abriga militares da Força Interina das Nações Unidas no Líbano (Unifil, na sigla em inglês). A viagem antecipa as comemorações do dia 4 de novembro - data em que se celebra a Festa das Forças Armadas no país europeu.

Acompanhado pelo ministro da Defesa, Ignazio La Russa, Napolitano discursou para os soldados que fazem parte do contingente italiano da Unifil.

"A vossa missão é e continuará sendo um dos pontos fixos do compromisso das Forças Armadas italianas e da nossa diplomacia nos cenários internacionais, em profunda transformação no século XXI", garantiu o presidente.

O italiano expressou também sua "apreciação pela obra extraordinária de apoio à paz e à estabilização de uma área de importância vital para o delicado equilíbrio do Oriente Médio e de toda a região mediterrânea".

A Unifil possui 12,5 mil soldados de vários países no sul do Líbano. A força foi criada em 1978 para monitorar a fronteira com Israel, e a base de Shama, onde estão os militares italianos, fica a seis quilômetros do limite entre os dois países.

Durante o encontro com os soldados, Napolitano pediu ainda que a Itália supere as "miopias e particularismos" de forma a entender o papel que pode desenvolver no crescimento da comunidade internacional.

O presidente também falou da importância das Forças Armadas na legalidade e defesa dos direitos humanos e, em consequência, na manutenção da paz, crescimento econômico e avanço democrático.

Sobre o trabalho dos militares italianos no Líbano, Napolitano disse que os soldados obtiveram resultados importantes e "reconhecimento de todas as partes interessadas".

"Nos orgulha e torna conscientes da necessidade do pleno seguimento de nosso empenho aqui, onde se joga uma das partidas mais importantes para o futuro da paz", declarou.

Por sua parte, La Russa afirmou que a missão da Unifil é uma das mais importantes em defesa da estabilização e paz entre as quais a Itália está envolvida.

Atualmente, a força multinacional está sob o comando do militar italiano Claudio Graziano. O mandato do país acaba em algumas semanas e a próxima nação a assumir seria a Espanha. A imprensa local, porém, informou que Israel manifestou-se favorável à permanência da Itália no cargo, o que teria gerado desconforto entre os espanhois.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Presidente da Itália realiza visita a soldados italiano no Líbano