Portas abertas para 35 mil

Fonte Jornal Unicamp 28/05/2012 às 22h
A UPA – Unicamp de Portas Abertas de 2012 vai ser realizada em um único dia, no sábado de 1º de setembro, e não em dois dias como ocorria tradicionalmente. A mudança foi anunciada dia 23 pelo professor Edgar Salvadori De Decca, coordenador-geral da Universidade, na reunião de lançamento do evento deste ano, quando os representantes das unidades e órgãos participantes são informados de detalhes sobre a organização. O importante é que as visitas e atividades nos laboratórios das faculdades e institutos, tão cativantes para os milhares de estudantes que vêm anualmente ao campus, estão asseguradas na programação juntamente com as palestras e apresentações artísticas.

A UPA foi idealizada pela Coordenadoria Geral da Universidade (CGU) para mostrar, principalmente a alunos e professores do ensino fundamental e médio, como funciona a Unicamp, apresentando os cursos técnicos e de graduação, as unidades e os projetos que desenvolve, além de informações sobre bolsas sociais e de mobilidade estudantil. Toda escola pode participar do evento, sendo que uma prioridade é mostrar aos estudantes de baixa renda que também são capazes de ingressar em uma das instituições mais respeitadas do país – muitos deles sequer tentam o vestibular.

A UPA 2012 tem o slogan “Faça-se presente. E ganhe o futuro”. O site do evento estará no ar agora em junho, com todas as orientações para inscrições e mapas indicando como chegar e se deslocar pela Universidade. A previsão é de 35 mil inscritos, sendo que o público deverá alcançar 40 mil pessoas, considerando que muitos familiares aproveitarão o sábado para acompanhar os estudantes no passeio. São esperados entre 700 e 800 ônibus fretados pelas escolas, somados aos veículos particulares, o que vai exigir um esquema especial envolvendo a Prefeitura do campus, a Prefeitura de Campinas, a Polícia Rodoviária e as concessionárias de rodovias no entorno.

Foi por causa do trânsito registrado no ano passado que a CGU decidiu concentrar as atividades da UPA 2012 no sábado. “É a contragosto que tomamos esta decisão. No ano passado, tivemos grandes problemas na sexta-feira, quando a capacidade de tráfego nas estradas e avenidas que circundam a Universidade não conseguiu fazer frente ao número de veículos e ônibus que vieram para o evento. Se antes era perfeitamente exequível acolhermos grandes públicos, que chegaram a 60 mil pessoas em dois dias, o crescimento do volume de veículos e a saturação das vias expressas tornou impossível enfrentar esta nova realidade”, justificou o professor Edgar De Decca.

 

Segundo o coordenador-geral da Unicamp, um dado adicional que comprometeria o bom funcionamento da UPA 2012 são as mais de 100 obras de infraestrutura em andamento. “As próprias vias do campus estão ocupadas por estas obras, o que dificultaria atender número tão grande de estudantes na sexta-feira, quando a Universidade funciona normalmente. A Unicamp também cresceu, com mais cursos, estudantes, professores e, principalmente, mais carros. Este é um prenúncio do que pode acontecer em alguns anos e precisamos buscar alternativas, como bolsões de estacionamento e o uso de bicicletas, para viabilizar inclusive as atividades intracampus.”

De Decca observa que a restrição da UPA ao sábado, dia em que o trânsito dentro da Unicamp é pequeno e cai muito a frequência nos cursos e laboratórios, torna possível montar um esquema logístico que permita a afluência do público à Universidade sem prejuízos à população, até porque o movimento na região é aliviado pelo fechamento das empresas.

O prefeito do campus, professor Roberto Paes, informou sobre as medidas adotadas pela administração para evitar que transtornos se repitam. “No ano passado, tivemos problemas também porque o acesso ao campus, pela maioria dos veículos, se deu por uma portaria só; agora serão duas portarias para entrada e duas para saída. Haverá um longo corredor para desembarque e embarque dos ônibus, que serão identificados logo na chegada e direcionados a um local de estacionamento. Ocorre que medidas internas, apenas, não resolvem. Por isso, haverá uma ação integrada com a Polícia Militar, Emdec e administradoras das rodovias – que estarão sinalizadas antes mesmo que os veículos cheguem próximo à Universidade”.

Do CB para as unidades

Outra alteração na UPA 2012, esta provocada por uma grande reforma no Ginásio Multidisciplinar, é que os estudantes de ensino médio serão recepcionados no Ciclo Básico, dispersando-se depois pelas unidades da Unicamp. “O Ginásio, que sempre foi o espaço mais nobre da UPA por concentrar e agregar os alunos, está sendo fechado para uma intervenção de porte, como no piso e nos banheiros, e deverá ser reaberto no final do ano. Agora, o papel das unidades terá importância bem maior, pois será graças às atividades que elas prepararem que os estudantes terão contato com a Universidade”, explicou Edgar De Decca.

Mesmo o Ciclo Básico está passando por reformas, mas elas deverão estar concluídas até setembro, permitindo que ali sejam realizadas atividades de divulgação dos programas institucionais da Unicamp, como o Profis (Programa de Formação Interdisciplinar Superior) e o Paais (Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social), bem como a instalação de estandes de unidades que ficam fora do campus de Barão Geraldo. Já os auditórios do Centro de Convenções continuarão sendo utilizados para palestras.

A professora Carmen Zink Bolonhini, assessora da CGU e coordenadora do evento, disse que cada unidade ou órgão terá toda a liberdade para elaborar a sua programação de atividades, que deverá ser entregue até o dia 10 de agosto para divulgação no site da UPA 2012. “Vamos manter como símbolo a mascote Tiba. O site vai trazer a Revista Eletrônica de 2011, com versão em inglês, e estamos produzindo a Revista de 2012. Também repetiremos o Caderno de Informações e Anotações, contendo jogos relacionados a nomes que batizam espaços como o Instituto de Física Gleb Wataghin e a Biblioteca Central Cesar Lattes.”

Ainda de acordo com Carmen Zink, serão criadas rotas internas de ônibus para pontos mais distantes do Ciclo Básico, como a Faculdade de Ciências Médicas (FCM), a Faculdade de Engenharia Agrícola (Feagri) e o Museu Exploratório de Ciências. “Teremos cerca de 20 ônibus cobrindo essas rotas, com o cuidado de não ocupar as mesmas vias de acesso dos ônibus fretados pelas escolas. Os monitores acompanharão os visitantes nas rotas a pé para as imediações.”

Jornal Unicamp
Fonte Jornal Unicamp 28/05/2012 ás 22h

Compartilhe

Portas abertas para 35 mil