Por uma terra melhor

Fonte Enfato multicomunicação 15/04/2013 às 7h

Quinta da Estância indica ações para conservar o solo e sugere que a sociedade ajude a combater o desmatamento.

Hoje, segunda-feira (15), comemora-se o Dia da Conservação do Solo e a Fazenda Quinta da Estância explica formas de manter a terra fértil e sadia. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento do americano Hugh Hammond Bennett, considerado o pai da conservação dos solos nos Estados Unidos, o primeiro responsável pelo Serviço de Conservação de Solos do país.

“O solo precisa de tratamento adequado, pois nele constam propriedades naturais que podem perder valor em uma terra descuidada”, alerta Rafael Goelzer, diretor da Fazenda Quinta da Estância. Segundo ele, algumas medidas importantes precisam ser tomadas para sua conservação, como preservar a vegetação nativa, por exemplo. “Não praticar o desmatamento e criar a consciência de combatê-lo, de apoiar e contribuir para a fiscalização também é fundamental”, disse. A vegetação natural possui características que conservam o solo e ajudam a preserva-lo.

Outro ponto relevante sobre a conservação de uma terra fértil é o cuidado com a erosão, desgaste do solo e das rochas que destrói suas estruturas. Para combatê-la, um simples sistema de curvas de nível ajuda. “Valetas circulares podem ser feitas no solo de regiões altas como montanhas, morros ou serras. Isso impede que a água forte de uma enxurrada carregue a camada mais superficial do solo, que é a terra mais fértil e produtiva”, explica. O reflorestamento também é importante, pois a falta de vegetação pode facilitar a ocorrência da erosão. “Quando temos um local que tenha sofrido desmatamento devemos plantar árvores nessa região para recompor e evitar desgastes maiores de solo”, conta. O ideal é utilizarmos árvores nativas, pois além da recuperação do solo também estaremos promovendo um melhor equilíbrio ambiental deste local, complementa Goelzer.

“Quando temos uma plantação, seja de legumes, frutas ou um produto específico devemos dividi-la em partes. É essencial que uma parte descanse enquanto a outra trabalha”, indica. O processo é simples. Após a colheita ocorre uma rotação, sendo que a parte que havia descansado recebe o plantio e a que foi usada vai para o descanso. Tudo isso é para evitar o desgaste da terra, a perda de nutrientes e a consequente dificuldade de fertilização.

Enfato multicomunicação
Fonte Enfato multicomunicação 15/04/2013 ás 7h

Compartilhe

Por uma terra melhor