Polícia prende dois suspeitos por atentado em Milão e 40kg de material explosivo

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
A polícia italiana deteve outros dois supostos envolvidos no atentado à bomba realizado na manhã de segunda-feira contra um quartel militar na cidade de Milão. Também foram apreendidos cerca de 40 quilos de nitrato de amônia e de substâncias químicas utilizadas para a fabricação de explosivos.

Em coletiva de imprensa, o procurador-adjunto de Milão, Armando Spataro, anunciou hoje que foram presos o egípcio Abdel Mahmoud Kol e o líbio Mohamaed Imbaeya Israfel. Ambos acusados de participarem do planejamento do ataque.

Ontem, a polícia deteve o líbio Mohammed Game, de 34 anos, que detonou o artefato contra o quartel Santa Bárbara. Ele conseguiu entrar no estabelecimento e explodir uma maleta, ferindo levemente o cabo Guido La Veneziana, de 20 anos.

Os investigadores disseram também que o grupo não tem vínculos com organizações jihadistas e, aparentemente, devem ter ligações com patrulhas civis.

Em um comunicado, a Procuradoria de Milão informou ainda que as substâncias apreendidas foram adquiridas há cerca de uma semana por Game e que são semelhantes às contidas na bomba utilizada no ataque.

Segundo o ministro italiano do Interior, Roberto Maroni, os membros do Comitê Nacional para a Ordem e Segurança se reunirão em caráter de urgência na tarde de hoje para analisar "todas as informações", que permitam "tomar eventuais e oportunas decisões".

Ontem, o ministro da Defesa, Ignazio La Russa, insinuou que o atentado poderia estar relacionado à polêmica que cerca a presença de tropas do país no Afeganistão.

"Seria interessante investigar se os debates ocorridos nas últimas semanas, quando muito se falou sobre a possível retirada de nossas tropas do Afeganistão, têm incentivado ações terroristas", disse.

De acordo com testemunhas, Game teria gritado palavras em árabe antes de explodir a maleta; algumas dizem que ele teria dito: "Fora do Afeganistão".

Fontes militares destacaram que o quartel atacado serve de base para alguns dos contingentes que atuam no Afeganistão, onde a Itália mantém cerca de 2.800 soldados.

As discussões sobre uma possível retirada das tropas italianas ganharam força após a morte de seis militares italianos em um atentado na capital afegã, Cabul. A ação, cometida em setembro passado, deixou ainda outros italianos feridos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Polícia prende dois suspeitos por atentado em Milão e 40kg de material explosivo