Pesquisadores monitoram população de quelônios na Reserva Mamirauá

Fonte Ascom do Instituto Mamirauá 10/05/2013 às 10h
O Instituto Mamirauá realizou, por meio do projeto Conservação de Vertebrados Aquáticos Amazônicos (Aquavert), o monitoramento populacional de quelônios no Lago Jutaí, localizado na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, município de Maraã (AM).

 

Durante a atividade, entre 23 e 29 de abril, foram capturados 11 iaçás, sendo nove machos e duas fêmeas. Este monitoramento é realizado por meio da captura de quelônios com redes malhadeiras, objetivando medi-los, pesá-los e marcá-los e, em seguida, soltá-los no mesmo local.

Segundo Cristiane de Araújo, o projeto Aquavert desenvolve o monitoramento populacional de quelônios com o objetivo de verificar a abundância, a razão sexual e a estrutura etária das populações. A atividade foi realizada pelo Instituto Mamirauá nas décadas de 1990 e 2000 e retomada em 2011.

Além disso, a instituição apoiou na última seca, entre agosto e dezembro de 2012, 39 comunidades das reservas Amanã e Mamirauá que protegeram áreas de desova de quelônios, visando à proteção de ninhos e fêmeas reprodutoras. No período foi contabilizada a proteção de 134 ninhos de tartaruga, 673 ninhos de tracajá e 1.408 ninhos de iaçá.

Em uma dessas praias, pesquisadores do projeto Aquavert capturam as fêmeas em processo de desova e acompanham seus ninhos. Ali foi registrada a maior fêmea de iaçá até agora. Na literatura científica estava registrado que a espécie pode atingir 34 centímetros (cm) de comprimento, e os pesquisadores registraram uma fêmea com 38 cm. Descobertas como essas evidenciam as potencialidades de pesquisa das reservas de Desenvolvimento Sustentável Amanã e Mamirauá.

Saiba mais sobre o projeto Aquavert.

 

 

Ascom do Instituto Mamirauá
Fonte Ascom do Instituto Mamirauá 10/05/2013 ás 10h

Compartilhe

Pesquisadores monitoram população de quelônios na Reserva Mamirauá