Pesquisa desenvolve sistemas que tornam computadores "pensantes"

Fonte Portal EBC 14/05/2013 às 14h

Já é uma rotina para quem utiliza a internet com frequência: se há alguma dúvida, qualquer que seja, recorre-se a sistemas de buscas da web, que trazem como resultados sites onde é possível encontrar as respostas que se deseja. Agora imagine se, em vez de precisar buscar em cada um dos sites que aparecem na busca, o computador oferecesse respostas prontas?

Esta é a proposta dos projetos apresentados pelo professor Estevam Hruschka Jr, da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), na conferência www2013. A pesquisa foi explicada durante exposição na manhã desta terça-feira (14/05). Hruschka trabalha com aprendizagem de máquinas e busca desenvolver sistemas em que os computadores possam fazer leituras do conteúdo disponível na internet, no lugar de apenas listar o que está disponível na web. “O sistema de leitura de máquinas permite que o computador possa ir aos textos, lê-los e armazenar a informação que está lá em formato organizado, que possa ser usado por um outro computador, ou por ele mesmo, como ferramenta para responder a uma pergunta. Isso tudo no lugar de simplesmente dizer onde a resposta estaria”, explica.

Em sua palestra, o professor apresentou três modelos de leitura da web. O Know it All, que é voltado para informações contidas na Wikipedia; o Yago tenta criar uma super estrutura, reunindo de maneira estruturada o conteúdo que está disponível nas páginas web em inglês; e o Nell (Never-Ending Language Learner), primeiro sistema computacional da história que faz o que é chamado de “aprendizado sem fim”.

O Nell começou a ler páginas em janeiro de 2012 e é capaz de conversar com seres humanos por ferramentas como o Twitter e o Yahoo respostas para confirmar se o que está aprendendo está certo ou não. “Como uma criança que tem contato diário com a internet e vai armazenando esse conhecimento”, exemplifica o Estevam Hruschka. O professor explica que o Nell tem duas características especiais: “a autosurpevisão, que é distinguir o que é certo ou errado; e a autoreflexão, em que observa os seus próprios resultados e, autonomamente, pensa o que precisa ser melhorado, bem como quais algorítmos precisam ser mudados”.

Portal EBC
Fonte Portal EBC 14/05/2013 ás 14h

Compartilhe

Pesquisa desenvolve sistemas que tornam computadores "pensantes"