Paraguai: boca de urna indica vantagem para candidato do Partido Colorado

Fonte Agência Brasil/EBC 21/04/2013 às 18h

Assunção – As primeiras pesquisas de boca de urna, realizadas na manhã de hoje (21) indicam vantagem para o empresário multimilionário Horacio Cartes, candidato do Partido Colorado à Presidência do Paraguai. Em segundo lugar, está o ex-ministro de Obras Públicas e candidato do governo, Efraín Alegre, do Partido Liberal Radical Autêntico.

Aos 56 anos, Cartes é um novato na política. Até hoje, nunca tinha votado em eleição presidencial (apesar de o voto, no Paraguai, ser obrigatório). Dono de 25 empresas, entre as quais, um banco e fábricas de cigarros e de refrigerantes, filiou-se ao Colorado em 2009 e conseguiu modificar os estatutos partidários para se lançar candidato.

Na época, o centenário Partido Colorado acabava de perder a hegemonia no poder. Depois de estar no governo do Paraguai por 61 anos ininterruptos (35 deles durante uma ditadura), o partido foi derrotado nas eleições presidenciais de 2008 por uma aliança de partidos de esquerda com os liberais, que levou ao poder o ex-bispo Fernando Lugo. Ele foi destituído pelo Congresso (de maioria oposicionista), em junho passado, e substituído por seu vice, o liberal Federico Franco.

Na campanha, Cartes explorou a imagem de empresário bem-sucedido, criador de postos de trabalho. A agropecuária é a principal atividade do país, mas não emprega mão de obra intensiva e depende do clima, que é instável. Mas sérias acusações pesam sobre o empresário, dentro e fora do Paraguai.

Em entrevista coletiva na manhã de hoje (21), antes mesmo de votar, ele atribuiu as denúncias a uma campanha suja da oposição. Na página de sua ala política, Honor Colorado, ele se defende – inclusive de um processo aberto pela Receita Federal brasileira, em 2004, sobre a suposta remessa irregular de divisas do Brasil para o Paraguai.

“Todos os diretores do BA (Banco Amambay, de propriedade de Cartes) foram absolvidos em 2008”, diz Cartes, em sua página na internet, onde também rebate as acusações de evasão de divisas e narcotráfico.

Os colorados, em contrapartida, acusam Efraín Alegre (do Partido Liberal Radical Autêntico) de malversação de fundos na época em que era ministro de Obras Públicas e de Comunicação do governo Lugo. O advogado, de 50 anos, iniciou sua carreira política, no Partido Liberal ainda jovem. Antes de ser ministro, foi presidente da Câmara dos Deputados e senador.

Agência Brasil/EBC
Fonte Agência Brasil/EBC 21/04/2013 ás 18h

Compartilhe

Paraguai: boca de urna indica vantagem para candidato do Partido Colorado