Os homens também amam demais

Fonte Ayla Meireles Comunicação 29/05/2012 às 23h

O mundo machista não deixa com que a ala masculina admita que também sofre de amor patológico

A maioria das pessoas acha que sofrer por amor e ser co dependente amoroso são exclusividade da ala feminina. Isso ocorre porque ainda vivemos em uma sociedade muito machista, em que os homens são considerados fortes e as mulheres frágeis.

Por esse motivo, muitos precisam de tratamento e ajuda profissional após passar por problemas desse tipo, mas não tem coragem de assumir ou realmente acham que são fortes e que sofrer por amor é “coisa de mulherzinha”.

A psicanalista Taty Ades teve coragem de mergulhar na dor masculina e descobrir sobre esses amores mal resolvidos, que atingem os homens. Depois de freqüentar grupos de apoio, por dois anos, e perceber que em nenhum deles havia espaço para eles, resolveu pesquisar e escrever um livro para poder ajudá-los. Hades- Homens que amam demais- reúne depoimentos da ala masculina que sofre de amor patológico e co dependência, além de explicações sobre o tema.

No livro, a psicanalista explica que desde pequenos os homens são condicionados a serem fortes, a não chorarem e não assumirem que estão sofrendo por amor. Muitas vezes os sintomas são sutis e ninguém nem percebe. “Se ele vê que está se afastando dos amigos, que não pratica as atividades que gosta, está cada vez mais isolado e obcecado pela parceira querendo modificá-la e colocando-a no centro de sua vida, ele está doente e viciado em amor”, explica Taty.

As causas são diversas, inclusive, podem vir da infância, em que o homem não recebeu a atenção que desejava e vê na companheira a chance de modificar o passado.

Alguns casos mais graves acabam da pior maneira possível, com crimes passionais. Por isso, é importante que tanto homens, quanto mulheres, procurem ajuda de um profissional para superar essa doença e não chegar a esse ponto.

Nove em cada dez casais sofrem de algum tipo de distúrbio no seu relacionamento e não sabem. É importante mostrar os sintomas, identificar os erros e as possíveis soluções para o problema. E o primeiro passo é procurar ajuda de um profissional.

As causas são diversas, inclusive, podem vir da infância, em que o homem não recebeu a atenção que desejava e vê na companheira a chance de modificar o passado.

Alguns casos mais graves acabam da pior maneira possível, com crimes passionais. Por isso, é importante que tanto homens, quanto mulheres, procurem ajuda de um profissional para superar essa doença e não chegar a esse ponto.

Nove em cada dez casais sofrem de algum tipo de distúrbio no seu relacionamento e não sabem. É importante mostrar os sintomas, identificar os erros e as possíveis soluções para o problema. E o primeiro passo é procurar ajuda de um profissional.

Tatiana Ades - PSICANALISTA

Ayla Meireles Comunicação
Fonte Ayla Meireles Comunicação 29/05/2012 ás 23h

Compartilhe

Os homens também amam demais