Orquestra filarmônica de Nova York espera se apresentar em Cuba

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
O vice-presidente da Orquestra Filarmônica de Nova York, Eric Latzky, disse hoje esperar o aval do governo de Washington para a realização de um concerto em Cuba, após o Departamento do Tesouro norte-americano ter negado autorização para o evento.

Devido ao embargo econômico que os Estados Unidos impõem à ilha caribenha desde 1962, o governo norte-americano havia autorizado a viagem apenas dos músicos, mas barrou os patrocinadores, o que inviabilizou a realização do concerto.

Em entrevista ao jornal cubano Juventud Rebelde, Latzky disse que, "graças ao apoio e à cooperação entusiasta do Instituto Cubano da Música [estatal] e de funcionários da Seção de Interesses Cubanos em Washington DC, já estão quase prontos todos os preparativos".

"Os Departamentos de Estado e do Tesouro norte-americanos também cooperaram muito, até agora no planejamento deste projeto, e agradecemos seu apoio", reforçou o vice-presidente da orquestra.

Ele explicou ainda que a Filarmônica de Nova York depende de patrocínios privados para a realização de suas turnês. "Continuamos buscando uma solução que satisfaça ambas as partes, e esperamos poder estar em Cuba o mais rápido possível", reiterou Latzky.

O vice-presidente destacou que Cuba "é um país com um valioso patrimônio sonoro", o que motiva os músicos norte-americanos a "levar sua música à ilha e relacionar-se com os cubanos no plano musical".

O anúncio da apresentação da Filarmônica de Nova York foi interpretado por alguns analistas como um sinal de melhora nas relações entre Cuba e Estados Unidos. A reaproximação bilateral vem sendo especulada desde o início do governo de Barack Obama.

Fundada pelo maestro Ureli Corelli Hill em 1842, a Orquestra Filarmônica de Nova York é a mais antiga dos Estados Unidos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Orquestra filarmônica de Nova York espera se apresentar em Cuba