Orçamento de 2010 prevê 10.000 demissões

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
Cerca de 10 mil funcionários públicos perderão seus empregos no México, corte que faz parte do pacote econômico do governo do país para o ano de 2010, que inclui o desaparecimento de três secretarias (órgãos equivalentes aos ministérios).

Segundo informou o secretário da Fazenda mexicano, Agustín Carstens, serão extintas as secretárias de Turismo, Função Pública e Reforma Agrária e as demissões dependem ainda da utilização do Programa de Demissão Voluntária, entre outras ações.

"É um cálculo muito aproximado, muito preliminar", enfatizou o ministro, que falou ontem sobre o tema em coletiva de imprensa. "[O corte de equipe] dependerá de como serão aplicadas as restrições que seriam estabelecidas para o exercício do gastos", explicou.

Carstens disse ainda que as medidas para se atingir as metas do governo serão aplicadas "com total apego aos direitos dos trabalhadores, e cobrirão seus seguros médicos, (...) será feito o máximo esforço".

O Executivo entregou na semana passada ao Congresso seu pacote orçamentário para o próximo ano. A princípio, a proposta do governo foi rejeitada por prever a criação de impostos, como o de 2% ao consumo, arrecadação que seria destinada ao combate à pobreza.

As propostas austeras adotadas pelo governo de Felipe Calderón se deve ao fraco desempenho da economia mexicana neste ano. Até o fim de 2009, projeta-se uma retração do Produto Interno Bruto (PIB) de até 8%.

Segundo dados da agência de classificação de risco Moody"s e da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), no segundo trimestre do ano, o México registrou queda de 1,1% no PIB e ainda não saiu da recessão, causada principalmente por sua forte dependência dos Estados Unidos.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Orçamento de 2010 prevê 10.000 demissões