O papel da mulher na Rio+20

Fonte Ascom - MMA 30/05/2012 às 16h

O papel da mulher na Rio+20

A participação feminina terá destaque na Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio +20), que ocorre entre 13 e 22 de junho, no Rio de Janeiro. A ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, participou, nesta quarta-feira (30/05), em Brasília, da mesa redonda Autonomia das Mulheres e Desenvolvimento Sustentável na Rio+20, e classificou o tema como fundamental na definição de políticas para a área.

De acordo com a ministra, a previsão é de que o Rio sedie 200 eventos ligados às questões de gênero no âmbito da preservação ambiental. O número inclui tanto atividades da conferência internacional quanto do setor produtivo. "A Rio+20 é uma conferência de partida, para que possamos olhar e trabalhar para um futuro melhor", disse. "A mulher tem papel central nesse processo".

A mobilização feminina foi lembrada pela ministra em episódios como a Marcha das Margaridas, que anualmente reúne milhares de trabalhadoras rurais de todo o país em Brasília, para apresentar reivindicações ao governo federal. "Foi um exemplo inesquecível e demontra que é possível avançar por meio do engajamento das mulheres", afirmou Izabella Teixeira.

RECONHECIMENTO

De acordo com a ministra, o MMA é o segundo órgão federal com maior número de iniciativas e projetos voltados para as mulheres, atrás somente da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres da Presidência da República. A ministra lembrou ainda o reconhecimento internacional das iniciativas de preservação do meio ambiente executadas pelo governo federal.

O debate sobre gênero e sustentabilidade integra as atividades da 9ª Reunião do Conselho Nacional dos Direitos da Mulher (CNDM), que começou na última segunda-feira e termina nesta quarta-feira. A mesa redonda contou, ainda, com os ministros Antônio Patriota (Relações Exteriores) e Eleonora Menicucci (Secretaria de Políticas para as Mulheres). Participaram, ainda, representantes do CNDM, Carmen Foro, da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Agricultura (Contag), Justina Inês Cima, do Movimento de Mulheres Camponesas, e do Instituto Equit, Graciela Rodriguez.

Ascom - MMA
Fonte Ascom - MMA 30/05/2012 ás 16h

Compartilhe

O papel da mulher na Rio+20