Novo site da Rede CLIMA traz ciência para todos os públicos

Fonte INPE 26/03/2013 às 8h

 

Sediada no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a Rede Brasileira de Pesquisas sobre Mudanças Climáticas Globais acaba de lançar seu novo site na Internet, com novos design e conteúdo: http://redeclima.ccst.inpe.br. O projeto foi direcionado para atender aos diversos públicos interessados em adquirir ou aprofundar o conhecimento na área de mudanças ambientais globais: cientistas e estudantes universitários; professores e estudantes de ensino fundamental e médio; meios de comunicação; instituições públicas e privadas.

Além da área institucional, que apresenta os objetivos, a equipe e a estrutura da Rede CLIMA, o site traz acesso a materiais educativos como vídeos, testes interativos e cartilhas didáticas. Também estão listadas as publicações dos mais de 200 cientistas envolvidos em pesquisas da Rede e apresentações de resultados das 13 sub-redes que estudam os impactos das mudanças climáticas (Agricultura, Biodiversidade e Ecossistemas, Cidades, Desastres Naturais, Desenvolvimento Regional, Economia, Energias Renováveis, Modelagem Climática, Oceanos, Recursos Hídricos, Saúde, Serviços Ambientais dos Ecossistemas e Zonas Costeiras).

Criada no final de 2007 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, a Rede CLIMA tem como missão gerar e disseminar conhecimentos para que o Brasil possa responder aos desafios representados pelas causas e efeitos das mudanças climáticas globais. Constitui-se em fundamental pilar de apoio às atividades de Pesquisa e Desenvolvimento do Plano Nacional de Mudanças Climáticas instituído pelo governo federal, que tem balizado a identificação dos obstáculos e dos catalisadores de ações. Enseja o estabelecimento e a consolidação da comunidade científica e tecnológica preparada para atender plenamente as necessidades nacionais de conhecimento, incluindo a produção de informações para formulação e acompanhamento das políticas públicas sobre mudanças climáticas e para apoio à diplomacia brasileira nas negociações sobre o regime internacional de mudanças climáticas.

IPCC

Uma das grandes contribuições da Rede CLIMA é o Modelo Brasileiro do Sistema Terrestre (BESM, da sigla em inglês), que embasa a participação brasileira no próximo Relatório de Atividades (AR5) do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudança do Clima). A primeira versão do BESM foi utilizada para gerar cenários globais de mudanças climáticas no período de 1960 a 2100, com um total de 2.500 anos de integrações em modo de conjunto do modelo, submetidos ao projeto internacional CMIP5 de intercomparação de modelos de mudanças climáticas globais, e artigo científico aceito para publicação no Journal of Climate (Nobre et al, 2013).

INPE
Fonte INPE 26/03/2013 ás 8h

Compartilhe

Novo site da Rede CLIMA traz ciência para todos os públicos