Nove mitos sobre dor na coluna

Fonte MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde 29/03/2013 às 18h

A Sociedade Norte-Americana de Coluna realizou uma pesquisa online – “9 for Spine” – que conseguiu identificar os mitos mais comuns entre os pacientes, quando o assunto é dor nas costas

Mito 1: O exercício físico provoca dor nas costas.

“Atletas de final de semana” podem ter dores nas costas após uma carga de exercícios extenuantes. Mas o exercício regular, moderado pode ajudá-lo a evitar a dor. Para se manter saudável, sua coluna precisa de um regime regular de exercícios de alongamento e de fortalecimento, tais como natação, yoga, musculação e caminhada. Sem exercícios, os músculos tornam-se enfraquecidos, provocando dor nas costas. “Para quem tem muita dor nas costas, o ideal é procurar um especialista em coluna para obter recomendações sobre os exercícios mais apropriados para se manter saudável, forte e livre de dor”, orienta o neurocirurgião, especialista em coluna, Eduardo Iunes (CRM-SP 119.864).

Mito 2: A cirurgia de coluna vai curar a dor nas costas completamente.

A cirurgia da coluna pode corrigir deformidades ou lesões, reduzir a dor e melhorar a função do órgão. A maioria dos pacientes relata melhora da dor e pode retornar às suas atividades normais, após a cirurgia. “No entanto, alguns pacientes experimentam apenas alívio parcial da dor e, em raras vezes, relatam que a dor se agravou. É por isso que um diagnóstico preciso é fundamental para garantir um tratamento adequado. Por exemplo, a cirurgia de coluna não pode aliviar sua dor se você é um fumante inveterado ou se sua dor é causada por um problema de articulação no quadril”, diz o médico.

Mito 3: Se eu fizer uma cirurgia da coluna, terei que fazer diversas cirurgias de coluna ao longo da vida.

“A maioria dos pacientes não tem que passar por várias cirurgias de coluna. No momento em que um especialista em coluna sugere que a cirurgia pode aliviar a dor de um paciente, um diagnóstico claro já foi feito. E tratamentos conservadores, incluindo medicamentos, tempo, fisioterapia e/ou reabilitação já foram tentados”, afirma Eduardo Iunes. Nos casos mais graves ou de emergência, a cirurgia da coluna é uma opção, mas ainda assim, o paciente pode decidir se deseja se submeter à cirurgia ou não.

Mito 4: A cirurgia de coluna apresenta muitos riscos, incluindo a paralisia.

Em toda cirurgia há o risco de complicações, tais como a formação de coágulos de sangue ou o surgimento de uma infecção, por exemplo.A paralisia é uma das complicações mais temidas, mas também é uma das menos prováveis de ocorrer, uma vez que a maioria das cirurgias de coluna não envolve a manipulação da medula espinhal. Hoje, sofisticados instrumentos cirúrgicos, dispositivos de imagem e equipamentos como o microscópio cirúrgico, o endoscópio, o neuronavegador e a monitorização neurofisiológica intraoperatória fornecem aos cirurgiões um acesso sem precedentes à coluna, tornando a cirurgia mais segura. No entanto, sempre é bom discutir os riscos e os benefícios da cirurgia com o especialista em coluna, antes de decidir operar”, explica o neurocirurgião Eduardo Iunes.

Mito 5: O repouso é o melhor remédio para a dor nas costas.

O excesso de repouso pode agravar a dor nas costas! A inatividade pode provocar o enfraquecimento e a contratura dos músculos das costas. O sentimento de desamparo que aparece devido ao fato do paciente estar deitado na cama o dia todo pode provocar efeitos emocionais, causando depressão ou medo do movimento, o que pode fazer um episódio de dor durar mais tempo. “Para reduzir a dor nas costas, os especialistas em coluna recomendam não mais do que um ou dois dias de repouso na cama para aplacar a dor e evitar danos maiores, seguidos de exercícios moderados e suaves”, destaca o médico.

Mito 6: Se eu procurar um especialista em coluna, vou acabar fazendo uma cirurgia.

Em primeiro lugar, nem todos os especialistas em coluna são cirurgiões. Fisiatras, reumatologistas, neurologistas, especialista em dor e outros profissionais fazem a prescrição do tratamento não cirúrgico para acabar com a dor na coluna vertebral. “A cirurgia de coluna é recomendada apenas para uma porcentagem muito pequena dos casos, com diagnósticos muito específicos, depois que um tratamento mais conservador ou procedimentos minimamente invasivos para o alívio da dor já foram tentados”, observa Eduardo Iunes.

Mito 7: Se eu tenho dor nas costas, provavelmente precisarei de uma cirurgia.

Quase todo mundo vai vivenciar uma crise de dor na coluna na vida. Estima-se que 90% das pessoas que têm dor nas costas irão melhorar sem tratamento ou com tratamentos conservadores, como medicamentos anti-inflamatórios, exercícios e fisioterapia. “A cirurgia da coluna é recomendada em apenas 1% dos casos, em quadros com sintomas e diagnósticos muito específicos. A cirurgia de coluna só é considerada depois que todos os tratamentos conservadores foram tentados”, reforça o neurocirurgião.

Mito 8: Dor nas costas é algo inerente ao envelhecimento.

Não importa quantas velas estejam em cima do seu bolo de aniversário, a dor nas costas não deve ser uma parte da sua rotina, como algo normal ou natural. À medida que envelhecemos, é verdade que podemos nos tornar mais suscetíveis a certos tipos de condições dolorosas nas costas. “No entanto, com todas as opções de tratamento não cirúrgicas e cirúrgicas disponíveis, hoje em dia, a dor nas costas não tem de ser necessariamente parte do processo de envelhecimento. Converse com um especialista em coluna para encontrar maneiras de melhorar a sua dor e aproveitar a vida novamente, não importando sua idade”, recomenda o médico.

Mito 9: Se eu tomar um remédio para dor nas costas, vou me tornar viciado.

“A maioria dos medicamentos de primeira linha recomendados para dor nas costas não são viciantes. Com um diagnóstico adequado, um plano de tratamento definido e um monitoramento médico apropriado, medicamentos opióides podem ajudar. Se o especialista em coluna prescreveu uma medicação, como a codeína, é importante que o paciente compreenda que o medicamento integra um plano de tratamento que inclui outras opções para aliviar a dor, como a fisioterapia e a prática de exercícios físicos também”, esclarece o neurocirurgião, especialista em coluna, Eduardo Iunes.

CONTATO:

Site: http://dreduardoiunes.com.br/

Email: contato@dreduardoiunes.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/tudosobrecirurgiadecoluna

MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde
Fonte MW- Consultoria de Comunicação & Marketing em Saúde 29/03/2013 ás 18h

Compartilhe

Nove mitos sobre dor na coluna