Nos X Games, voluntariado envolve a cidade e garante experiência aos jovens

Fonte Ascom – Ministério do Esporte 20/04/2013 às 9h

Outras Notícias


Ted Almeida, 29 anos, morador de Foz do Iguaçu, encara uma experiência única na sua vida. Durante os quatro dias dos X Games na cidade paranaense, ele é um dos cerca de 380 voluntários que se dedicam para atender melhor aos turistas, moradores da cidade e aos atletas que estão envolvidos diretamente nas olimpíadas dos esportes radicais. Ted, que tem inglês fluente, contribui com o seu conhecimento, ajudando como tradutor na interface entre o comitê organizador brasileiro e o norte-americano.

 

Em Foz do Iguaçu, o perfil dos voluntários é de estudantes universitários, com idade entre 18 e 25 anos. Com 90% de moradores locais, o programa de voluntariado dos X Games conta também com auxílio de pessoas dos estados de Ceará, Santa Catarina, São Paulo, Mato Grosso e Rio de Janeiro, além de estrangeiros vindos da Alemanha, Argentina, Bélgica, França e Paraguai.

 

“Nosso trabalho é somar. Cada pessoa tem muito o que acrescentar e se juntarmos todas as pessoas nós conseguiremos fazer um trabalho inesquecível. Tenho certeza de que teremos uma experiência memorável para todos que estão aqui em Foz do Iguaçu”, ressaltou Ted.

 

O trabalho de voluntariado envolve toda a cidade. Desde o aeroporto, com o receptivo, até as acomodações dos hotéis e pontos turísticos. O suporte é feito com mais de 30 ônibus, que circulam pela cidade levando os profissionais envolvidos no evento dos hotéis aos locais de provas.

 

Voluntários na arena montada no Parque Infraero

“O programa de voluntariado não serve somente para o evento. É principalmente um grande envolvimento com a comunidade local. Com a participação de todos, conseguiremos agregar muito e trazer para o evento a melhor qualidade, com participação, força de vontade, profissionalismo e alegria. Assim, cada um na sua área de trabalho, com crescimento profissional e pessoal, com contato com pessoas de várias partes do mundo”, analisa o coordenador do Programa de Voluntariado dos X Games Foz do Iguaçu, Fabrício Cezario.

Um dos objetivos da experiência nos quatro dias de evento é disseminar a cultura do voluntariado para a juventude. Assim, o comitê organizador realizou parcerias com universidades locais para proporcionar aos alunos uma experiência profissional durante o evento, para aprenderem na prática tudo o que estão estudando em sala de aula.

Ederson Henrique, 22 anos, estudante do sexto período de enfermagem, é um exemplo. Com a vivência de ter contribuído como voluntário pela primeira vez durante os Jogos Universitários Brasileiros (JUBs), agora ele encara o trabalho com outro olhar. “Aqui eu adquiro experiência e contribuo um pouco como voluntário na minha área profissional, para aprimorar os meus conhecimentos”, disse.

A equipe atua nas áreas de credenciamento, hospitalidade, produção, tradutores, assistentes de câmeras, enfermeiros, fisioterapeutas, entre outras. Cezario explica que inicialmente a organização esperava contar com cerca de 300 voluntários, mas com o grande número de inscritos, o time aumentou.

“Na última semana tivemos uma grande demanda de inscrições e tivemos que, infelizmente, recusar os novos candidatos. Tivemos no portal inscrições de 600 voluntários, onde um pouco mais da metade teve a oportunidade de trabalhar”, disse.

Confira o vídeo sobre o trabalho dos voluntários nos X Games:

Ascom – Ministério do Esporte
Fonte Ascom – Ministério do Esporte 20/04/2013 ás 9h

Compartilhe

Nos X Games, voluntariado envolve a cidade e garante experiência aos jovens