NBB - Querendo mais

Fonte Liga Nacional de Basquete 12/08/2014 às 11h
Dono de dois prêmios individuais no último NBB, Paulão chega ao Mogi com boas expectativas, espera evoluir ainda mais e ajudar a equipe a ganhar títulos

Jogador que Mais Evoluiu e Melhor Pivô do NBB 6. A última temporada não poderia ter sido melhor para Paulão Prestes. Com a camisa do Vivo/Franca, o jogador foi um dos grandes destaques da última edição do maior campeonato de basquete do país e levou dois troféus individuais para casa.

Agora, de casa nova, Paulão terá uma nova jornada pela frente. O jogador, de 2,10m de altura e 26 anos, acertou com o Mogi das Cruzes/Helbor e é uma das seis caras novas da equipe do Alto do Tietê para a temporada 2014/2015 – Shamell, Tyrone, Elinho, Gerson e Jimmy são os outros contratados.

“As expectativas para essa temporada são as melhores possíveis. Estou sempre procurando evoluir, principalmente na parte física e esse ano não vai ser diferente. Estamos em processo de adaptação dentro do novo time e espero que tenhamos uma temporada de muito sucesso”, exaltou o jogador.

Antes de chegar a Mogi e viver ótima fase, Paulão, porém, precisou dar a volta por cima. Vindo de seis temporadas no basquete espanhol e escolhido pelo Minnesota Timberwolves na 45ª posição do Draft da NBA de 2010, o jogador foi contratado pelo UniCEUB/BRB/Brasília para o NBB 5, mas não conseguiu deslanchar em solo brasileiro.

Paulão até apresentou boas médias, 12,4 pontos e 8,0 rebotes por jogo, mas só conseguiu entrar em quadra em 21 das 39 partidas que a equipe candanga disputou ao longo do campeonato nacional. Além disso, ficou em média apenas 23,3 minutos por partida e não conseguiu obter destaque dentro da maior competição de basquete do país.


Na temporada seguinte, tudo mudou. Desde o início da trajetória francana na sexta edição do NBB, Paulão assumiu o papel de protagonista e figurou entre os melhores do campeonato. O pivô desfalcou o time dirigido pelo técnico Lula Ferreira em somente dois dos 42 jogos realizados pela equipe e sua produção subiu consideravelmente: médias de 18,7 pontos, 9,4 rebotes em 30,4 minutos por jogo.

“Na última temporada eu não me machuquei. Em Brasília tive um problema no joelho direito logo no início do campeonato e isso foi se arrastando durante toda a temporada. Em Franca fiz um trabalho de fortalecimento para não ter problemas e funcionou muito bem. Com certeza essa minha evolução teve muito a ver com isso. Pude jogar e apresentar meu melhor basquete sem ter que me preocupar com lesões. Estava mais à vontade para jogar e isso foi muito importante para mim”, disse Paulão.

Com direito a atuações brilhantes, Paulão não ficou com os dois prêmios na lista dos Melhores do NBB 6 à toa. Dono de uma incrível regularidade durante todo o campeonato, o jogador fechou a competição como o líder no ranking de eficiência, calculada com a seguinte fórmula: (Pontos + Assistências + Rebores + Bolas Recuperadas + Tocos)-(Arremessos errados + Bolas perdidas/Violações). Ao todo, o pivô registrou média de 21,8 pontos de eficiência por jogo.

“Eu acho que fiz um bom campeonato. Outros pivôs também se destacaram, mas fico muito honrado de ter meu trabalho reconhecido. Trabalhei duro durante toda a temporada para tentar dar meu melhor em quadra. Franca não foi tão bem como o esperado, mas mesmo assim fizemos grandes jogos”, explicou o jogador, que foi um dos convocados para defender o NBB Brasil no Jogo das Estrelas 2014.

De bem com a vida depois da ótima temporada pelo Franca, Paulão quer seguir evoluindo. Agora sob o comando do espanhol Paco García no esquadrão mogiano, o atleta espera repetir a temporada de sucesso e, desta vez, também com títulos de sua equipe.

“Ganhar troféus individuais é sempre uma sensação, mas esse ano eu quero sempre mais. Quero que minha equipe ganhe títulos, que é o mais importante de tudo. Vou trabalhar duro para que isso aconteça e as expectativas para essa temporada são as melhores possíveis. Nosso time tem várias peças para rodar por posição e isso é muito bom. Estamos em construção e em constante evolução. Pouco a pouco vamos ganhando entrosamento e, com o andamento dos jogos, a equipe certamente vai evoluir”, concluiu Paulão.

Além do Campeonato Paulista, já em andamento, Paulão e o Mogi ainda terão mais dois desafios nesta temporada: o NBB 7 e a Liga Sul-Americana.

Mais votado na eleição para Jogador que Mais Evoluiu do último NBB, Paulão recebeu 28,9% dos votos possíveis e ficou com o prêmio. Entre os pivôs, recebeu 30,7% dos votos e foi eleito para o Quinteto Ideal do NBB 6, ao lado do armador Nicolás Laprovittola e o do ala Marquinhos, ambos do Flamengo, do ala norte-americano David Jackson, do Winner/Limeira, e do ala/pivô Jefferson William, ex-São José/Unimed e atualmente no Paschoalotto/Bauru.
Liga Nacional de Basquete
Fonte Liga Nacional de Basquete 12/08/2014 ás 11h

Compartilhe

NBB - Querendo mais