O seu canal de notícias do Brasil e do Mundo.

      

NBB - Do começo ao fim

Fonte Liga Nacional de Basquete 09/04/2013 às 9h

 

Após duas prorrogações, Flamengo supera o Tijuca no clássico carioca mais emocionante da história do NBB

Do jeito que todo clássico deve ser, emocionante do começo ao fim, o Flamengo superou o Tijuca/Rio de Janeiro, por 107 a 103, após duas prorrogações. O líder do NBB chegou a sua 29ª vitória em 33 jogos disputados na temporada (87,8% de aproveitamento).

O pivô do Flamengo, Caio Torres, foi o grande nome do jogo com 26 pontos e 10 rebotes, um duplo-duplo. Outro atleta que conseguiu dígitos duplos em dois fundamentos foi o ala/pivô Olivinha, que teve 17 pontos e 15 rebotes. Pelo Tijuca, o cestinha foi o ala/pivô norte-americano Rashad Bishop, com 21 pontos.

“O Tijuca mostrou que é uma equipe forte e que pode vencer qualquer time do NBB. Nós entramos com seriedade, nos superamos durante a partida e conseguimos mais uma vitória importante na temporada”, comentou o pivô do Flamengo, Shilton.

Mesclando bem o jogo interno com um alto aproveitamento nos arremessos de fora, o Flamengo assumiu a liderança do marcador desde o início do primeiro quarto. O pivô Caio Torres e o ala Marquinhos combinaram 18 pontos pelo time rubro-negro, que superou o Tijuca por 29 a 19 na etapa inicial.

Na volta para o segundo período, o Tijuca conseguiu uma boa recuperação nos primeiros minutos. Os tijucanos pararam o ataque do Flamengo e a cada ataque foi tirando a vantagem. Com dois lances livres do armador Arnaldinho, o jogo mudou de liderança (38 a 36) e se manteve assim até o intervalo (42 a 40).

O equilíbrio se manteve durante todo o terceiro quarto. O rubro-negro voltou a ter bom desempenho ofensivo, enquanto o Tijuca aproveitou que Arnaldinho acertou a mão nos arremessos de fora e ajudou seu time a continuar na frente do placar (62 a 60).

Com o moral elevado, o time da Tijuca manteve o alto nível técnico e colocou pressão no líder do NBB. Se não fosse a experiência e categoria da equipe rubro-negra, que acertou arremessos importantes no final do último quarto, o Tijuca poderia ter vencido a partida no tempo normal. Com 19 segundos para o final e o placar empatado em 81 a 81, os tijucanos tiveram a última posse de bola, mas o armador Fred desperdiçou o arremesso, levando o confronto para a prorrogação.

No tempo extra, o Flamengo conseguiu recuperar a liderança do jogo logo nos primeiros lances, mas não foi capaz de abrir uma vantagem que pudesse relaxar. Com três segundos para o final, o time da Gávea vencia por dois pontos (93 a 93) e o Tijuca tinha a posse de bola. O ala/pivô norte-americano Bishop tinha o controle da reposição de bola e, com muita genialidade, jogou-a nas costas do marcador, pegou-a de volta, em quadra, e marcou o arremesso, que levou o confronto para a segunda prorrogação (93 a 93).

Sem se abalar com o que aconteceu na etapa anterior, o Flamengo abriu 5 a 0 no segundo tempo extra (98 a 93). Nada que impedisse a reação do Tijuca, que após um arremesso de 3 do ala Marcellus, baixou a vantagem para apenas um ponto (99 a 98). Lances mais tarde, Marcellus, novamente, conseguiu a virada para os tijucanos (103 a 101), com menos de um minuto para o final. O rubro-negro conseguiu virar novamente o jogo, mas, dessa vez, não permitiu a reação do adversário.

“Esse jogo mostrou que o time é capaz. Jogamos de igual para igual com o líder do campeonato. Tivemos alguns problemas na preparação e isso refletiu na temporada. O time está de parabéns pela superação”, afirmou o armador Arnaldinho, do Tijuca, que agora se prepara para o quadrangular de acesso, quando os dois últimos colocados do NBB enfrentarão o campeão e vice da Super Copa Brasil por duas vagas na próxima temporada do campeonato nacional.

Liga Nacional de Basquete
Fonte Liga Nacional de Basquete 09/04/2013 ás 9h

Compartilhe

NBB - Do começo ao fim