Museu de Artes e Ofícios em MG

Fonte Ascom -MinC 07/03/2013 às 8h

Outras Notícias

 

Diretora do Museu de Artes e Ofício de Minas Gerais, Angela Gutierrez, apoia Vale-Cultura

Ministra Marta conhece o MAO ao lado de Angela Gutierrez

Angela declarou apoio à política do Vale-Cultura, que qualificou como “conquista do povo brasileiro”. “O Ministério da Cultura é tão importante e sério que temos que valorizar seu conteúdo”, disse Angela. Segundo ela “Vale-Cultura, a gente admira e defende”.

A diretora do Museu que abriga e difunde um acervo representativo do universo do trabalho, das artes e ofícios no Brasil, afirmou também que a política do Vale-Cultura é um passo importante na conscientização dos empresários e dos empregados. “Vale-Cultura é importante para quem concede e para quem recebe, pois transforma a vida das pessoas”, observou.

Há sete anos instalado na Estação Central de Belo Horizonte, por onde transitam diariamente, milhares de pessoas, o MAO recebe público de variados perfis. Entre as pessoas de mais baixo poder aquisitivo, o curioso, no início do projeto, era perceber o medo que tinham de entrar no espaço: “Falavam assim: a gente pode entrar?”. Agora que o projeto já é conhecido, este medo não existe mais: “O povo vai entrando e ajuda a manter”.

O MAO cobra preços populares para a visitação (entre 2 e 3 reais) e tem vários dias com gratuidade, também programas de visitas de escolas. “Aqui não é o caso de usar o Vale-Cultura, mas há muitos outros espaços em que essa política vai abrir portas”.

Mémoria

A ministra Marta Suplicy afirmou que o MAO é um espaço de uma força impressionante, feito a partir da percepção de Angela. “O pai da Angela dizia que objetos e utensílios que estavam na sala das pessoas mais abastadas sobreviveriam ao tempo e contariam a História, a memória de períodos. Já os que estavam agregados à produção, desapareceriam. Ou seja, uma visão muito sensível de um engenheiro que conhecia bem a realidade do país”.

Angela, desde pequena, colecionou peças e montou um acervo e depois doou-o ao Iphan. “Interessante é que ela acredita que o acervo não fica pronto nunca. Continua se fazendo. Devemos a ela o que está aqui”, disse Marta.

Angela contou à ministra que uma senhora que fez doação de uma peça ao MAO exemplifica bem o sentimento das pessoas ao doar algo. “Ela disse á Angela: ‘vou doar, mas, antes, vou trabalhar bem o meu desapego’.” Para a ministra, uma história que ilustra bem, que inspira quanto à política do Vale-Cultura.

Lei de Incentivo

O Museu de Artes e Ofícios é mantido, entre outros, com recursos viabilizados por meio da Lei de Incentivo à Cultura desde sua implementação. Os últimos projetos do museu que receberam autorização para captação através da Lei Rouanet são voltados para a manutenção, seminários de capacitação museológica, programa de cultura e educação e obras de restauração.

Ascom -MinC
Fonte Ascom -MinC 07/03/2013 ás 8h

Compartilhe

Museu de Artes e Ofícios em MG