Morales critica ausência de Hillary em Assembleia da OEA

Fonte Ansa flash 24/05/2012 às 12h
O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que a ausência da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, da Assembleia da Organização dos Estados Americanos, em Cochabamba, ocorre devido à expulsão do embaixador norte-americano do país.

Para o mandatário, os Estados Unidos "não podem aguentar que um país considerado pequeno e com um presidente índio expulse seu embaixador". Ele explicou que o episódio aconteceu em prol da "dignidade de todos os bolivianos e bolivianas. Isso [os norte-americanos] nunca vão esquecer".

Morales também declarou que está convencido de que os Estados Unidos não poderão fazer um "bloqueio econômico" à Bolívia. As críticas foram feitas durante o início dos festejos do aniversário cívico do estado de Chuquisaca.

Ontem, La Paz divulgou uma versão de que a delegação norte-americana para a assembleia, que acontece entre 3 e 5 de junho, seria liderada pela secretária adjunta, Roberta Jacobson, porque Hillary "tem muitas tarefas pendentes" em seu país.
O presidente da Bolívia, Evo Morales, disse que a ausência da secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, da Assembleia da Organização dos Estados Americanos, em Cochabamba, ocorre devido à expulsão do embaixador norte-americano do país.

Para o mandatário, os Estados Unidos "não podem aguentar que um país considerado pequeno e com um presidente índio expulse seu embaixador". Ele explicou que o episódio aconteceu em prol da "dignidade de todos os bolivianos e bolivianas. Isso [os norte-americanos] nunca vão esquecer".

Morales também declarou que está convencido de que os Estados Unidos não poderão fazer um "bloqueio econômico" à Bolívia. As críticas foram feitas durante o início dos festejos do aniversário cívico do estado de Chuquisaca.

Ontem, La Paz divulgou uma versão de que a delegação norte-americana para a assembleia, que acontece entre 3 e 5 de junho, seria liderada pela secretária adjunta, Roberta Jacobson, porque Hillary "tem muitas tarefas pendentes" em seu país.
Bolívia e Estados Unidos têm relações diplomáticas limitadas à presença de um encarregado de negócios desde 2008, quando os dois países expulsaram os respectivos embaixadores Philip Goldberg, em La Paz, e Gustavo Guzmán, em Washington.

Segundo anúncios preliminares, as posições se manterão distantes durante a próxima assembleia da OEA. Isso porque, de acordo com o representante boliviano desta organização, Diego Pari, os Estados Unidos não concordam com a proposta de que na Declaração de Cochabamba se proclame o acesso à água como direito humano.

A Bolívia, como país anfitrião, planejou a segurança alimentar com soberania para tema central do encontro.
Ansa flash
Fonte Ansa flash 24/05/2012 ás 12h

Compartilhe

Morales critica ausência de Hillary em Assembleia da OEA