Ministro destaca papel das TICs para o desenvolvimento do Brasil

Fonte Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação 10/08/2015 às 19h

Nenhum país pode almejar ou alcançar o conhecimento sem acesso às tecnologias da informação e comunicação (TICs). A afirmação foi feita pelo ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, em palestra, nesta segunda-feira (10), no seminário UFRN: Tecnologia da Informação Acelerando o Desenvolvimento, realizado em Natal. "As empresas que se agigantam no mundo são as que dominam ou exercem papel de vanguarda apoiadas nessas tecnologias", disse o ministro.

Aldo Rebelo pontuou que as TICs são as únicas atividades que não "encerram em si a sua finalidade e são pressupostos de qualquer projeto de desenvolvimento econômico na área de serviços e políticas públicas". "As tecnologias da informação e comunicação podem tornar a produtividade do trabalho mais elevada que as demais. Elas podem também contribuir para maior capacidade de circulação das mercadorias e acelerar as políticas púbicas em saúde, educação e segurança pública. A produtividade do trabalho depende dessas tecnologias", afirmou.

No Brasil, o mercado de TICs gera mais de 1,5 milhão de empregos, com níveis de renda superiores à média da massa salarial. Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), em 2013, cerca de 11 mil empresas atuavam nesse segmento. "O Brasil se lança na busca do domínio dessas tecnologias num movimento contraditório, com certo atraso, mas combina também alguma velocidade e sucesso. O setor de TICs no Brasil tem crescido, nos últimos anos, basicamente, ao dobro da velocidade da média mundial, que é de 5%", ressaltou Aldo.

O mercado de TICs nacional, de acordo com dados da Brasscom, é o quinto maior do mundo. Em 2013, gerou receita da R$ 240 bilhões, representando 5,2% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) da indústria de hardware no País alcançaram mais de US$ 500 milhões em 2014, um acréscimo de 72% em relação a 2011.

De 2011 a 2013, empresas fabricantes de computadores, celulares, tablets e equipamentos de informática, incentivadas pela Lei de Informática (nº 8.248/1991), aportaram cerca de R$ 1,6 bilhão em centros de P&D no Brasil. A legislação prevê isenção fiscal de 80% sobre o Imposto de Produtos Industrializados (IPI) para companhias que investem na fabricação, no Brasil, de equipamentos de hardware, conforme o processo produtivo básico (PPB) estabelecido pelos ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e pelo do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

O Governo Federal apoia o mercado de TICs também por meio do Programa Estratégico de Software e Serviços de Tecnologia da Informação (TI Maior). O objetivo da política pública é desenvolver ecossistemas digitais de software e serviços de tecnologia da informação em setores competitivos e estratégicos da economia brasileira, integrando ações de apoio financeiro e capitalização, compras governamentais e encomendas.

MCTI no Nordeste

No âmbito do programa Start-Up Brasil, dos 183 projetos apoiados, 38 são de empresas de base tecnológica localizadas na região Nordeste. "Nós temos alguns projetos em curso aqui no Rio Grande do Norte relacionados com nosso Ministério e com as TICs", disse o ministro Aldo. "Temos em curso um projeto de cobertura de todo Estado, a partir da cidade de Natal, por meio da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa [RNP], que ligará, inicialmente, a região metropolitana", explicou Aldo Rebelo, referindo-se à Rede Metropolitana de Natal (GigaNatal), implementada em 2008, que interliga instituições de ensino e pesquisa num total de 160 quilômetros de cabos de fibra ótica.

O diretor geral da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa, Nelson Simões, organização social qualificada pelo MCTI, avaliou que a Rede Metropolitana de Natal é uma das "melhores inciativas" em rede do País. "A GigaNatal é uma das quatro melhores iniciativas de redes entre as 37 que existem no Brasil. Ela desdobrou suas ações para além do previsto inicialmente. A rede pode ser caracterizada como um bem público, já que atende à conexão de escolas na internet, atividades e políticas na área da saúde e  serviu ao plano de segurança durante a Copa do Mundo de Futebol", disse.

Para Simões, a rede é uma estratégia importante para favorecer o desenvolvimento econômico e social de uma cidade. Ele ministrou palestra sobre o tema "Redes avançadas de educação e pesquisa: âncora e motor do desenvolvimento". "É fundamental que, nos próximos anos, o Brasil tenha uma visão integrada do que é comunicação, computação e armazenamento de dados. É preciso encarar a tecnologia da informação como um instrumento essencial para se fazer pesquisa e educação no Brasil", avaliou.

Parceria

A reitora da UFRN, Ângela Maria Paiva Cruz, afirmou que a universidade tem recebido apoio do Ministério em uma série de ações. "Temos o apoio do MCTI em diversos projetos, como a consolidação dos laboratórios e o próprio GigaNatal. Até o momento, mais de 200 projetos de pesquisa e inovação são financiados pela Finep", disse. A reitora agradeceu ao ministro Aldo pela presença no seminário. "O ministro atendeu ao convite e nos contempla, pela segunda vez consecutiva, com sua presença, juntamente com o diretor da RNP."

O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves, que também participou do seminário, ressaltou que a UFRN é "uma das melhores universidades" quando se trata de pesquisa, ciência, inovação e tecnologia no País. Ao citar a iniciativa GigaNatal, ele afirmou tratar-se de um dos projetos responsáveis por "levar o conhecimento e a informação à população, multiplicando, portanto, os efeitos para o desenvolvimento que queremos conquistar".

Evento

O seminário é parte de um projeto intitulado Motores do Desenvolvimento do Rio Grande do Norte, agora em sua 24ª edição. Em anos anteriores, a iniciativa contou com temas diversificados, como "Perspectivas para o turismo brasileiro", em 2014; "Universidade: desafios da interiorização e internacionalização do ensino", em 2013; e  "Transportes e mobilidade urbana e Copa do Mundo de 2014", em 2012.

Participaram também do seminário UFRN: Tecnologia da Informação Acelerando o Desenvolvimento o prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves; o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria; o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN); e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), Amaro Sales de Araújo, e da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Rio Grande do Norte (Fecomércio), Marcelo de Queiroz.

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação
Fonte Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação 10/08/2015 ás 19h

Compartilhe

Ministro destaca papel das TICs para o desenvolvimento do Brasil