Ministro defende redução do IPI para carros mais potentes

Fonte Agência Brasil. 19/11/2009 às 0h
O governo deve discutir até meados de 2010 a possibilidade de retirar o incentivo tributário para os carros populares e incentivar, automaticamente, a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para os automóveis cujos motores têm potência mais elevada. O objetivo é cobrar o imposto de acordo com a eficiência do veículo.

A sugestão é do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Miguel Jorge. Segundo ele, no entanto, não será a potência do motor que vai definir o critério sobre o imposto, mas sim uma série de avaliações estabelecidas a partir de um estudo em curso. Atualmente os carros populares são tributados com IPI de 7% e os demais pagam até 25%, de acordo com o modelo.

À Agência Brasil, o ministro disse ser fundamental estimular a produção de veículos mais potentes  e sua eficiência, além de cooperar com a redução da emissão de gases.”A ideia é cobrar o IPI em cima da eficiência do consumo. Isso vai estimular a produção de automóveis. O objetivo é conseguir implantar isso o mais rapidamente o possível”, afirmou.

O ministro vai defender sua posição exatamente como fez com a redução do IPI para os produtos da chamada linha branca. Contrariando vários setores do governo federal, Miguel Jorge conseguiu levar sua proposta adiante e a redução será mantida até janeiro – inicialmente.

“O presidente [Luiz Inácio] Lula [da Silva] é prático: ele escuta, analisa e decide”, disse Jorge, demonstrando otimismo. O ministro está em Luanda e depois segue para Maputo (Moçambique) e Johanesburgo (África do Sul) com um grupo de empresários para intensificar o comércio entre brasileiros e africanos.

Miguel Jorge afirmou que vai ampliar as articulações em defesa das alterações na cobrança do IPI para os automóveis mais potentes depois de concluído um estudo – ainda em fase de elaboração  pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) – que analisa o desempenho de todos os modelos de veículos em circulação no país.

De acordo com o ministro, existem no país aproximadamente 450 modelos de veículos em circulação, com diferentes potências de motor. O estudo desenvolvido há dois anos pelo Inmetro faz uma avaliação completa da eficiência do motor, da emissão de gases e das despesas.
Agência Brasil.
Fonte Agência Brasil. 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Ministro defende redução do IPI para carros mais potentes