Ministra argentina se reunirá com secretário da Defesa dos EUA

Fonte Agência Brasil 19/11/2009 às 0h
A ministra da Defesa da Argentina, Nilda Garré, se reunirá na próxima semana com o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, para revisar assuntos bilaterais e mecanismos de cooperação.

A convite de Gates, Garré fará uma visita a Washington entre os próximos dias 7 e 10. Durante a viagem, ela também discursará a alunos da Universidade de Defesa Nacional sobre os fundamentos da política de Defesa da Argentina.

A ministra deve se reunir ainda com altos funcionários do Conselho de Segurança Nacional e visitar o Comando de Material do Exército norte-americano em Fort Belvoir, na Virgínia, onde encontrará com a comandante-geral da repartição, Ann Dunwoody, que é a primeira mulher general de quatro estrelas da história militar do país.

Um dos objetivos de Garré será obter informações sobre questões logísticas, uma vez que a Argentina está realizando uma drástica mudança nos mecanismos de compra de equipamentos a partir da instauração da Agência Logística.

Segundo informou o governo argentino, a ministra deverá se reunir também com o chefe de Comando Sul do Exército norte-americano, Douglas Fraser, e com funcionários adjuntos da Secretaria de Defesa, como Paul Stockton e Frank Mora.

Ao concluir sua agenda em Washington, Garré viajará para a sede da Organização das Nações Unidas (ONU) em Nova York para se encontrar com funcionários do departamento de Operações de Paz do organismo, já que a Argentina participa de missões desde 1958.

A comitiva que acompanhará a ministra inclui o chefe de Estado-Maior Conjunto das Forças Armadas, Jorge Chevalier, o secretário de Assuntos Internacionais para a Defesa, Alfredo Fort, e o subsecretário de Planejamento Logístico e Operação de Defesa, Gustavo Sibila.

Não foi informado, no entanto, se nos encontros Garré abordará assuntos militares da América do Sul, como o acordo que será estabelecido entre Estados Unidos e Colômbia, que permitirá o envio de um contingente de até 1.400 norte-americanos para operar em sete bases colombianas.

O tema está sendo debatido por vários países da região, sendo que alguns como Venezuela e Equador repudiam o tratado.

A presidente argentina, Cristina Kirchner, foi anfitriã na última sexta-feira de uma cúpula extraordinária da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) que discutiu a questão. A mandatária já demonstrou preocupação pelo acordo, ressaltando que é necessário a adoção de uma "doutrina uniforme" para avaliá-lo.
Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Ministra argentina se reunirá com secretário da Defesa dos EUA