Minha Casa, Minha Vida poderá incluir moradores de invasões do Parque Nacional da Tijuca, diz ministra

Fonte Agência Brasil 22/03/2013 às 20h

Rio de Janeiro - O Programa Minha Casa, Minha Vida poderá ser usado para alojar os moradores de áreas invadidas do Parque Nacional da Tijuca, disse hoje (22) a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ela participou da reunião do Comitê de Gestão Compartilhada do parque, na capital fluminense.

A ministra informou que uma das questões críticas discutidas no encontro foi a invasão da área do parque por pessoas que precisam ser realocadas. “Temos que discutir isso. Pela lei, o Poder Público tem que realocar. Tem a alternativa de realocação até cinco salários mínimos usando o Minha Casa, Minha Vida, com projetos habitacionais ocorrendo no Brasil inteiro. Nós temos que olhar essa situação para o Brasil todo, e buscar uma solução inédita”, explicou.

O comitê também discutiu o aumento de linhas de ônibus ao Morro do Corcovado, que fica na área do parque. No local, está um dos principais pontos turísticos da cidade: o Monumento do Cristo Redentor. Segundo o prefeito Eduardo Paes, em 30 dias serão criadas duas linhas de ônibus: uma partindo do Parque da Catacumba, na Lagoa Rodrigo de Freitas, e outra do Largo do Machado. Ele defendeu que as passagens sejam vendidas pela internet. Medida que pretende seja estendida para o trem do Corcovado.

“Acho que isso é fundamental. Você tem uma limitação do Corcovado, e esse é um dos maiores problemas que a gente enfrenta”, disse. Segundo Paes, para a instalação das linhas será adotado o mesmo critério de licitação usado na criação da linha de ônibus que opera partindo das Paineiras.

O secretário municipal de Turismo, Antônio Pedro Figueira de Melo, informou que a ideia é fazer a operação, em sistema de teste, a partir de maio e ainda durante a Jornada Mundial da Juventude, em julho. "No réveillon e no verão sempre aumenta o movimento de turistas no Corcovado. É de se esperar que também na Jornada Mundial da Juventude vai ter muita movimentação dos participantes por lá [Corcovado]", disse.

O prefeito determinou ao secretário municipal de Turismo que acelere o processo de decisão sobre o Palacete do Itamaraty, no Alto da Boa Vista, zona norte do Rio. Atualmente o imóvel é privado, mas o Comitê Gestor pretende que a prefeitura faça a desapropriação para a instalação de um centro de visitantes. Paes pediu ao secretário que analise também a instalção de um hotel ou de um restaurante no local. “ Vamos ver se tem uma rede de hotel interessada. Eu topo desapropriar”, disse o prefeito.

O secretário estadual do Ambiente, Carlos Minc, que também participou da reunião do comitê, disse que o processo de gestão compartilhada tem permitido avanços para resolver os problemas do Parque Nacional da Tijuca. “Não tem sentido cada um ter a sua proposta de biodiversidade, de ecoturismo ou de segurança. Nós somos parceiros. Estamos aqui na parceria não só na hora de fazer o discurso, mas também na hora de coçar o bolso e de ajudar a tomar conta com educação ambiental. Nós, do estado, vamos ajudar com a instalação de uma UPP [Unidade de Polícia Pacificadora] Ambiental. Tem que ter uma instalação aprovada dentro dos padrões da Polícia Militar, e tem que ter um complemento idêntico ao que o prefeito Eduardo Paes paga aos membros das UPPs que trabalham nas comunidades”, disse.

 

Agência Brasil
Fonte Agência Brasil 22/03/2013 ás 20h

Compartilhe

Minha Casa, Minha Vida poderá incluir moradores de invasões do Parque Nacional da Tijuca, diz ministra