Militares italianos ajudam a capturar 20 rebeldes no Afeganistão

Fonte Ansa Flash 19/11/2009 às 0h
Cerca de 20 insurgentes foram detidos esta manhã próximos à cidade afegã de Herat, em uma operação realizada pelo exército local e por militares italianos a um dia das eleições presidenciais do Afeganistão.

Segundo o comandante da Brigada Folgore e do contingente multinacional no oeste do país ocupado, Rosario Castellano, o grupo realizava "atos hostis" em vista das eleições presidenciais.

O comandante informou que os rebeldes montaram uma barricada em uma escola, mas a operação foi tranquila e nenhum tiro foi disparado. Os insurgentes portavam armas, dez quilos de explosivos, três motocicletas e uma pick-up.

"A captura destes insurgentes faz parte de uma operação que há dias estamos conduzindo, junto com o exército afegão e militares norte-americanos, no distrito de Gozara, perto de Herat. Durante esta operação, fomos capazes de desmantelar a organização e a estrutura do chefe do Talibã na região, Ghulam Yahya Akbari ", contou Castellano, pontuando que o líder, no entanto, ainda não foi capturado.

Às vésperas da primeira eleição direta que ocorrerá sob plena responsabilidade das autoridades do Afeganistão, aumentaram os atentados cometidos pelo movimento radical islâmico Talibã contra civis e organismos internacionais.

Somente hoje, os ataques já causaram a morte de 12 pessoas. Ontem, outras 20 faleceram em explosões de carro-bomba e atentados.

Há três dias, um militar italiano, membro da Força Internacional de Assistência à Segurança (Isaf), ficou levemente ferido em um atentado suicida cometido em Cabul, que matou sete pessoas e deixou 91 feridos.

No dia 14 de julho, o oficial italiano Alessandro Di Lisio, de 25 anos, morreu em um atentado ocorrido perto da cidade de Farah. Desde 2004, quando a Itália enviou tropas ao Afeganistão, 14 de seus soldados faleceram, a maioria em ataques.

O atual presidente, Hamid Karzai, é o favorito para vencer o pleito de amanhã. O seu principal adversário é Abdullah Abdullah.

Karzai assumiu o governo interino do país após a invasão norte-americana em 2001, que derrubou o Talibã. Três anos depois, foi reeleito com 55% dos votos.

Abdullah, por sua parte, foi ministro das Relações Internacionais e se candidata pela coalizão oposicionista Frente Nacional Unida.
Ansa Flash
Fonte Ansa Flash 19/11/2009 ás 0h

Compartilhe

Militares italianos ajudam a capturar 20 rebeldes no Afeganistão